Lúcia Westphal tem 62 anos de idade, dos quais 36 dedicados à proteção dos animais. Para o projeto "Mulheres que Inspiram", idealizado pela Contax Contabilidade e Planejamento Tributário, com o apoio da Presse Comunicação e do OCP News Vale, ela conta sobre a sua trajetória e criação do Sítio Dona Lúcia, em Blumenau.

Casada e mãe de três filhos, ela afirma que consegue conciliar o tempo e dedicar muito amor tanto para a sua família como para os animais.

 

“O fato de eu ser mulher, parece que não passo a mesma credibilidade como se fosse um homem à frente dos projetos. Muitas pessoas que frequentam o Sítio, cumprimentam funcionários e questionam se algum deles é meu marido. Me questiono: preciso de uma figura masculina para seguir e concretizar meus sonhos? Não. Eu faço meu trabalho e me orgulho muito dele. Fico impressionada como ainda colocam a figura masculina para dar credibilidade a algo que as mulheres fazem”, comenta.

 

O Sítio Dona Lúcia

Atualmente considerado um dos maiores abrigos de animais em Santa Catarina, o Sítio começou há 36 anos, quando Dona Lúcia resgatou o primeiro cachorro. Daí em diante, esse trabalho não parou mais.

Com o ideal de salvar os animais de rua, ela abriu as portas do seu sítio e, desde então, o número de cães e gatos abrigados vêm aumentando diariamente.

 

“Nossa missão é resgatar e acolher os animais que foram abandonados pelos seus donos, trazendo-os o conforto e cuidados necessários. Queremos conscientizar as pessoas para que tratem os animais com respeito e cuidem deles com responsabilidade”, conta.

 

Momentos marcantes

Questionada sobre os momentos mais marcantes desta trajetória, a protetora relembra com tristeza a enchente de 2008, em Blumenau.

 

“Muitos animais morreram, outros ficaram vagando pela cidade. O que me deixa abalada são os momentos em que precisamos resgatar animais que sofrem maus-tratos. Isso é muito triste para quem ama eles. Eu não consigo entender como as pessoas conseguem fazer mal a um animal indefeso, que só tem amor para dar”, relata.

 

Por sua vez, Lúcia destaca o quão fundamental é o apoio das pessoas que convivem e conviveram com ela ao longo dessas mais de três décadas dedicadas à proteção animal. “Todos os dias enfrentamos desafios, muitos envolvendo animais, outros financeiros, pois o Sítio se mantém através de doações”, comenta.

Projetos

Sempre disposta a ajudar, Lúcia revela que tem novos projetos em andamento. “O principal deles é o voluntariado para castração social de gatos e cachorros. De início vamos começar com essa ação na cidade de Pomerode, pois o próprio Município irá me ajudar”, conta.

 

“Vamos arrecadar dinheiro para castrar animais que estão com famílias que não têm condições financeiras. Pomerode servirá de exemplo para outras cidades. Acredito na possibilidade desse projeto se estender para todo estado. Com boa vontade, determinação e colaboração em equipe, conseguimos colocar em prática esse projeto”, explica.

 

Conscientização e educação

Antes do início da pandemia de Covid-19, a protetora vinha ministrando palestras com orientações e dicas de prevenção, sobretudo para o público mais jovem. Ela acredita que a transformação deve começar a partir da conscientização das pessoas mais novas.

 

“Costumo dizer que não quero morrer sem ver a mudança dos maus-tratos e abandono de animais. Isso é um sonho para mim. As pessoas precisam entender que os animais vieram ao mundo para nos dar apenas amor. Não existem motivos para fazermos mal a eles”, afirma.

 

Mensagem para todas as mulheres

 

“Mulheres, corram atrás dos seus sonhos. A maternidade não nos impede de nada. Nós podemos concluir tudo que desejamos e sonhamos, basta determinação. Quando fazemos algo que amamos, os caminhos se abrem para nós”, finaliza Lúcia.

 

Caso queira conhecer mais sobre o Sítio Dona Lúcia, clique aqui.

Leia as outras entrevistas do projeto "Mulheres que Inspiram":