No cotidiano, a prática esportiva produz uma série de valores. Liderança, trabalho em equipe, respeito às regras, são apenas alguns exemplos vivenciados para forjarem, além de atletas, bons cidadãos.

Caminhando paralelamente, grandes desempenhos nas modalidades esportivas refletem na determinação de esportistas, que deixam um legado de conquistas eternizadas na memória da cidade.

Jaraguá do Sul pode se orgulhar em ter um leque gigante de atletas e equipes que marcaram época e levaram o nome da cidade Brasil afora nos mais diferentes momentos.

Foto Henrique Porto/Arquivo Avante! Esportes

Como não lembrar do goleiro Ado, tricampeão mundial com a seleção brasileira de futebol em 1970? E das mulheres Cornélia Caglioni e Lígia Braun, multicampeãs do atletismo e natação na década de 80?

Ou mais recentemente, do time de futsal na ‘era Malwee’, que arrebatou títulos inesquecíveis?

Pois é, estes são apenas alguns exemplos de uma rica história do esporte jaraguaense, que ultrapassa fronteiras e se imortalizou com o passar dos anos.

Foram momentos emblemáticos de pessoas que se dedicaram, utilizaram o talento e uniram forças para iniciar uma jornada de sucesso em Jaraguá do Sul e ganhar espaço no estado, país e até no mundo.

Jaraguá Futsal, o campeão dos campeões na ‘Era Malwee’

Quando falamos do esporte de Jaraguá do Sul, logo vem à tona o futsal. Não é para menos. Hoje, a cidade que elegeu o salonismo como uma das principais paixões locais, orgulha-se dos feitos de uma história rica de títulos.

Muito por conta da primeira década do século 21. Com investimento pesado da Malwee Malhas, muitos craques desfilaram seu talento na equipe jaraguaense, com destaque para o maior jogador de todos os tempos, Falcão.

Comemoração de um dos quatro títulos conquistados na Liga Nacional | Foto Arquivo OCP News

O resultado dessa junção não poderia ser outro: vitórias arrebatadoras e títulos. Foram, nada mais nada menos, que 47 títulos em 10 anos. Entre eles, quatro Ligas Nacionais, seis Taças Brasil, seis Libertadores, quatro Superligas e seis Catarinenses.

Juventus, o auge na década de 1990

Ao longo da história do futebol, uma frase foi muito utilizada para resumir a grandeza do Brasil no esporte: “os ingleses o inventaram, mas os brasileiros o aperfeiçoaram”. Esta é, sem dúvida, uma relação antiga que envolve muita paixão.

Em Jaraguá do Sul, esse apreço pelo esporte bretão não é diferente e a tradição do Grêmio Esportivo Juventus carrega o nome da cidade no âmbito profissional.

Fundado em 1966, o Moleque Travesso, como é conhecido, viveu seus melhores momentos na década de 90.

Em um time lembrado por ‘jogar por música’, o Tricolor ficou em terceiro lugar no Estadual de 94 e chegou às semifinais da Série C do Campeonato Brasileiro de 95, a melhor participação de um clube da cidade em um torneio nacional.

Tiro esportivo, da tradição à soberania estadual

Uma tradição em terras jaraguaenses que atravessa gerações e desponta como principal força catarinense há décadas. Esse é o tiro esportivo de Jaraguá do Sul.

Desde o primeiro título conquistado nos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), em 1997, e no Campeonato Brasileiro do ano seguinte, a cidade se consolidou como referência na modalidade.

Até aqui, já são 11 títulos de Jasc, recordes e inúmeros títulos estaduais por equipe e individuais, convocações de atletas para seleção brasileira, participações em Copas Mundiais, Pan Americanos, Sul-Americanos e até Pré-Olímpico.

Samuel Lopes é referência no esporte local | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Competidor desde os 12 anos, Samuel Leandro Lopes é atual treinador da equipe e principal nome da história do esporte na cidade. Já são 23 anos ininterruptos de seleção brasileira, com convocações para vários eventos nacionais e internacionais.

Além disso, é recordista catarinense, brasileiro, do Jasc, e detém 13 títulos do próprio Jogos Abertos, 24 estaduais, cinco brasileiros e três sul-americanos.

Taila Santos, a primeira jaraguaense no UFC

Protagonista de uma história de muita dedicação, Taila Santos precisou enfrentar inúmeros obstáculos para se tornar uma grande atleta no MMA.

O esforço acabou recompensado e após oito anos atrelados ao esporte pode-se dizer que a jaraguaense de 25 anos é a maior lutadora da cidade em todos os tempos.

Taila Santos em evento do UFC | Foto Divulgação/UFC

O motivo para tal alcunha é bem simples. Em setembro de 2018, ela passou pelo Contender Series Brasil, em Las Vegas, nos Estados Unidos, e assinou contrato com o UFC, maior organização de MMA no mundo.

Ela fez sua estreia no Ultimate em fevereiro e terá sua segunda luta no próximo mês de agosto. Ao todo, são 16 combates como profissional, com 15 vitórias.

Filipe Luís, atual craque jaraguaense do futebol

Após toda sua infância vivida em Jaraguá do Sul, onde teve uma iniciação no futsal, Filipe Luís se tornou o principal jogador na história do futebol da cidade.

Revelado no Figueirense, o lateral-esquerdo foi para Europa e fez seu nome no esporte ao atuar por Ajax-HOL, Real Madrid Castilla-ESP, Deportivo La Coruña-ESP, Chelsea-ING, Atlético de Madrid-ESP, e agora Flamengo, retornando ao Brasil após 14 anos no futebol europeu.

Filipe Luís com a camisa da seleção brasileira | Foto Divulgação

Além disso, é figura frequente na seleção brasileira há nove anos e participou da Copa do Mundo de 2018, na Rússia, além de ser campeão da Copa América, finalizada neste mês de julho.

Mesmo longe da terra natal, o jaraguaense não esquece suas raízes e sempre demonstra seu carinho pela cidade, sua rota principal de desembarque nas férias.

Kreis Jr., destaque no automobilismo

Sai ano, entra ano, mas o que não muda são as inúmeras conquistas de jaraguaenses do automobilismo na terra. E foi justamente neste solo que o maior piloto de Jaraguá do Sul da história iniciou sua carreira.

Após começar a competir em 1999, Kreis Jr. já passou por diversas categorias nestes 20 anos no esporte, que vão desde o Catarinense de Velocidade na Terra, passando pela Copa Clio, Pick-Up Racing, Trofeo Linea, Mini Challenge e Brasileiro de Marcas.

Hoje, o piloto leva o nome da cidade em campeonatos renomados do país e do mundo, carregando um leque gigante de conquistas, com destaque para o Campeonato  FARA de 2015, nos Estados Unidos, seu primeiro título internacional da carreira.

Bicicross, o ‘papa títulos’

Há modalidades em Jaraguá do Sul que têm a busca por títulos como objetivo maior para engrandecer ainda mais sua história.

E quando se trata deste quesito, há de ser lembrado o bicicross, categoria do ciclismo que se tornou uma das mais vencedoras de todos os tempos do município.

Afinal, em 37 anos de existência, a cidade acumula 35 títulos estaduais, nove brasileiros e um sul-americano, além de participações em finais do Mundial. Isso tudo sem contar os troféus e medalhas individuais.

Atual técnico da Equipe Jaraguaense, Guilherme Donat Bourscheidt, o Borcha, é um dos maiores nomes da história, já que carrega um currículo com seis brasileiros, 14 estaduais, um bronze no sul-americano e uma final do Mundial, desde as categorias menores até a Elite.

Cornélia Caglioni, fera do atletismo

Quando falamos do atletismo jaraguaense, o nome de Cornélia Holzinger Caglioni é lembrado por feitos impressionantes no passado.

Especialista nos 400m com barreiras, mas talentosa também nos 100m com barreiras, colecionou mais de 300 medalhas de nível municipal a internacional na década de 80.

Cornélia participou da primeira conquista do atletismo de Jaraguá do Sul nos Jogos Abertos de Santa Catarina | Foto Divulgação

Chegou a incríveis 30 pódios nos Jogos Abertos de Santa Catarina, com 25 medalhas de ouro, além de ser tetracampeã e faturar outras sete medalhas no Troféu Brasil, e conquistar um ouro e estabelecer o recorde sul-americano no revezamento 4x400m.

Como se não bastasse, foi eleita a Personalidade do Século 20 em Jaraguá do Sul e condecorada como ‘Atleta do Século’ na região.

Lígia Braun, grande nome da natação

Para tornar-se uma das principais forças do estado, a natação de Jaraguá do Sul contou com uma geração de ouro, composta por atletas que garantiram resultados inimagináveis ao município, entre as décadas de 70 e 80. O principal destaque veio da categoria feminina.

Considerada a maior velocista e fundista na história da cidade, Lígia Braun foi campeã de travessias oceânicas e faturou nada menos que 13 medalhas de ouro, 11 de prata e 10 de bronze, nas provas de 100m, 200m, 400m e 800m livre do Jogos Abertos de Santa Catarina.

Ela ainda pulverizou todos os recordes entre 1976 e 1980, com destaque para o Jasc de 78, em Caçador, onde simplesmente foi recordista nas quatro provas do estilo livre.

Goleiro Ado, tricampeão mundial de futebol

A seleção brasileira de futebol conquistou o tri da Copa do Mundo em 1971, com uma goleada na final sobre a Itália por 4 a 1. E um jaraguaense fez parte daquela conquista histórica no México.

Parente de Toto e Filipe Luís, outros talentos da cidade, o goleiro Eduardo Roberto Stinghen, o Ado, tornou-se o primeiro jogador de Jaraguá do Sul a chegar em um Mundial e o único a conquistar o título.

Isso tudo ao lado de craques como Pelé, Rivelino, Tostão, Carlos Alberto Torres, entre outras lendas da bola.

Revelado no Londrina-PR, Ado vestiu a camisa de clubes importantes do Brasil na época, como Corinthians, Atlético-MG, América (RJ), Portuguesa (SP) e Fortaleza, até pendurar as chuteiras, em 1984.

Canoagem, preservação dos rios e projeção nacional

Em 15 de julho de 1988, o Clube de Canoagem Kentucky foi fundado em Jaraguá do Sul, com o grande objetivo de conscientizar a população local sobre a necessidade da preservação da bacia hidrográfi ca da região. Mas nem por isso deixou de se destacar em competições.

Foto Henrique Porto/Arquivo Avante! Esportes

O cartão de visitas foi logo no primeiro ano de atividades, quando o quarteto formado por Ruy Lessmann, Theodoro Lessmann, Sandro Wille e Júlio Roberto Rodrigues conquistaram o Campeonato Brasileiro de Maratona, em Brasília-DF, nas categorias por Equipe e Individual.

Este último com Ruy, que dominou a prova de 25km de ponta a ponta.

Mais tarde, a canoagem jaraguaense formou outros campeões estaduais e nacionais, com destaque para Marcos Zanghelini, o Zanga, dono de 11 títulos brasileiros e participante do Mundial de Canoagem de Descida.

Jaraguá Breakers, campeão nacional de futebol americano

A bola não é redonda, a mais conhecida no nosso país. É marrom, de couro e com um formato oval. Sim, estamos falando do futebol americano, uma modalidade que cresce vertiginosamente no Brasil. E que o diga o público jaraguaense!

Uma cidade que antigamente pouco conhecia sobre o esporte, mas hoje tem seus fiéis aficionados e se orgulha de ter o Jaraguá Breakers, um time que atingiu seu auge em 2013, quando levantou a taça de campeão nacional.

Façanha que levou mais de 6 mil pessoas ao estádio João Marcatto, que comemoraram o título sobre o Flamengo FA, do Rio de Janeiro. E melhor, um feito conquistado de forma invicta.

Confira o especial completo de 143 anos de Jaraguá do Sul

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

Telegram

Facebook Messenger

WhatsApp