Com passagens por Corinthians, Vasco e Ponte Preta, além de clubes de Portugal, Japão e Emirados Árabes, Régis Pitbull vive um drama contra as drogas.

Em entrevista ao portal UOL nesta sexta-feira (25), o ex-atacante revelou que tenta se livrar do vício do crack.

"O futebol me deu tudo, a droga me tirou quase tudo e agora eu estou aqui. Do lado dos amigos que me ofereceram uma mão no escuro, estou tentando me reerguer", disse Régis.

Hoje com 43 anos, Pitbull falou sobre sua rotina diária com a droga. "Eu fico bem hoje com duas pedras de crack por dia, uma antes de dormir, outra depois de acordar. O que é muito menos do que eu usava há pouco tempo atrás", completou.

Pitbull (E) durante partida do Corinthians no Campeonato Paulista de 2004 | Foto Djalma Vassao/Gazeta Press

Ainda segundo ele, o problema só aumento após parar de jogar futebol.

"O pessoal pensa que só pobre usa droga. No meu mundo só tinha patrão, jogador, empresário, famoso. Todo mundo ali usando e você acaba querendo curtir também. Voltando para casa, eu tinha vontade de dar um 'continue' na vibe que tinha tido com os caras. E eu sabia onde conseguir as coisas na quebrada", explicou.

Para tentar largar o vício, Pitbull conta com ajuda de amigos e hoje tira o próprio sustento como jogador de futebol da várzea aos fins de semana.

"Para ser sincero, se não fossem meus amigos, o futevôlei e o jiu-jitsu, que comecei a praticar depois que larguei o futebol, talvez eu estivesse numa cracolândia hoje. Eu estava vendendo minhas coisas — roupa, telefone, camisas de time, ouro, carro -, tudo para comprar o bagulho. Quando dá vontade, é osso segurar. Mas eu nunca roubei, nunca fiquei usando na rua, o meu problema eu resolvo sozinho", afirmou.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger