O Brasil se consolida, cada vez mais, como a maior potência do esporte paralímpico nas Américas. No último domingo (1º de setembro), o país fechou sua participação no Parapan de Lima, no Peru, com a melhor campanha de sua história no evento.

Com um total de 308 medalhas, batendo o recorde de ouros, com 124, além de 99 pratas e 85 bronzes, a delegação brasileira terminou na liderança do quadro de medalhas pela quarta edição consecutiva.

Top 10 do Parapan 2019

Os números ainda superaram a campanha do México, na primeira edição do Parapan, quando o então país anfitrião conseguiu 307 medalhas, com 121 ouros, 105 pratas e 81 bronzes: 307 no total.

“Lima foi um ótimo termômetro para avaliar o caminho que nós estamos trilhando. Nosso planejamento é para dois ciclos, para oito anos: Tóquio-2020 e Paris-2024. A meta interna nossa era superar Toronto em todos quesitos. Desde a delegação, número de atletas em finais, número de mulheres, número de classes baixas. É o nosso planejamento de renovação”, disse Alberto Martins, chefe da delegação brasileira.

Na última edição do Parapan, o Brasil havia conquistado 257 medalhas, com 109 ouros. Agora, o foco se volta para se manter no Top 10 das Paralimpíadas, que acontece em 2020, em Tóquio, no Japão.

“A gente sabe que do top 10 para o top 5 é questão de uma, duas medalhas. Então a gente precisa sempre estar ali naquele top 10”, comentou Martins.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger