“Um filme de terror”. Foi com estas palavras que o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, descreveu a viagem que levava o time até Mendoza-ARG, na madrugada de domingo (21).

Após a derrota para o Ceará no Campeonato Brasileiro, o elenco alviverde embarcou para cidade argentina para o jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, contra o Godoy Cruz, mas não conseguiu pousar.

Mattos relatou momentos de tensão no voo | Foto Jales Valquer/Estadão Conteúdo

Segundo o dirigente, o avião precisou arremeter duas vezes após ser atingido por fortes ventos ao tentar pousar e o piloto tomou a decisão de seguir para Rosario e depois para Buenos Aires, em um voo tenso que durou mais de 10 horas.

“Eu me recordo claramente a hora que veio o aviso para colocar o cinto, mais ou menos 20 minutos antes da aterrissagem. Eu estava vendo um filme... Aí começa um verdadeiro filme de terror. Em um primeiro momento era uma turbulência leve, foi aumentando, e o avião foi reduzindo, abaixando, e ela aumentando. A sensação que dava é que tinha algo de baixo para cima empurrando as asas, que ficavam balançando”, contou Mattos, em depoimento para a TV Palmeiras.

De acordo com o jornal local "Los Andes", os ventos chegaram a 80 km/h, derrubando várias árvores e postes de energia por Mendoza.

O caso atrasa a preparação do Verdão para o confronto diante do Godoy Cruz, que acontece nesta terça-feira (23), sendo que a equipe chegará à cidade nesta segunda (22).

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

Telegram

Facebook Messenger

WhatsApp