CPI da Zona Azul encaminhoi notícia-crime contra Dom Parking | Foto Édio Hélio Ramos/CMF/Divulgação
CPI da Zona Azul encaminhoi notícia-crime contra Dom Parking | Foto Édio Hélio Ramos/CMF/Divulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Zona Azul, que está investigando o contrato de concessão do serviço de cobrança dos estacionamentos públicos da Capital, realizou a primeira oitiva na manhã desta segunda-feira (14), na Câmara Municipal.

Antes do início dos depoimentos os vereadores relataram um fato ocorrido na última sexta-feira (11), onde os ex-funcionários se reuniram em frente ao escritório da Dom Parking, localizado no centro da cidade, para impedir que uma empresa de mudanças retirasse do local computadores e outros materiais, como documentos.

“Cerca de dez caixas já estavam em um caminhão de mudança, mas não conseguiam deixar o local. A Guarda Municipal e a Polícia Militar foram chamadas. Chegou-se a um consenso que esse material ficaram sob a guarda da Câmara Municipal de Florianópolis porque ali estão todas as informações que serão solicitadas pela CPI”, contou o vereador Gabriel Meurer, relator da CPI.

Os representantes da empresa Dom Parking não compareceram a oitiva, apesar da tentativa de notificação por parte do Legislativo por três vezes, inclusive por carta registrada e publicada no Diário Oficial do município.

Caixas com documentos da Dom Parking estão na Câmara Municipal | Foto Édio Hélio Ramos/Divulgação

O vereador Vanderlei Farias, o Lela diz que a atitude é um desrespeito com a população de Florianópolis.

“Foram três tentativas de encontrar os responsáveis. Depois foi tentada a notificação pelo correio. Posterior a isso, curiosamente, na sexta-feira, acontece essa situação. Também não compareceram na quinta-feira na audiência do Ministério Público do Trabalho (MPT) onde iriam explicar os prazos para pagamento do que devem aos trabalhadores. Precisamos tomar medidas judiciais”, enfatiza Lela.

Representante dos trabalhadores

Segundo Darllila Luiza Rodrigues, representante dos trabalhadores da Zona Azul, que prestou depoimento voluntariamente para contribuir com os trabalhos da CPI, após o episódio de sexta-feira os funcionários decidiram montar acampamento no local até que seja feita uma busca e apreensão dentro da casa onde funcionava o escritório.

“Estamos fazendo rodízio e não temos previsão de sair do local até ser apreendido o que tem dentro da casa ainda. O que ficou ali pode ter sim uma resposta pra gente”, afirmou Darlila.

Na sequência da reunião os vereadores começaram a ouvir o ex-secretário municipal de mobilidade, Marcelo Roberto da Silva. Ele foi o gestor do contrato nesta administração na prefeitura e acompanhou também todo o processo de judicialização do caso.

Caminhão foi impedido de sair com mobiliário da sede da Dom Parking | Foto Divulgação

“Nós conseguimos esclarecer aqui hoje que esta administração não foi inerte em relação ao processo. Nós seguimos todos o rito processual e legal, por isso demorou quase um ano e meio. E não tinha como em um processo judicializado tomarmos medidas administrativas sem que efetivamente tivesse uma decisão judicial. Assim que ela saiu, aí rompemos o contrato”, destacou Marcelo.

CPI se reúne na próxima semana

A próxima reunião da CPI da Zona Azul está marcada para a próxima semana nos dias 21 e 22 de outubro, a partir das 8 horas da manhã, onde serão chamados a para oitiva os representantes da empresa de transporte que estavam retirando o material do escritório da Dom Parking, a Guarda Municipal e a Polícia Militar que foi chamada ao local.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger