Cansaço e desânimo são comuns no cotidiano das pessoas. No entanto, acordar com esses sintomas, que persistem ao longo do dia, interfere na qualidade de vida e na produtividade. No país, esse cenário é mais comum do que se imagina.

Pesquisa Ibope Inteligência de 2017 apontou que 98% dos brasileiros dizem ter algum nível de cansaço físico ou mental. Os jovens – entre 20 e 29 anos - são os mais cansados - 99% dos entrevistados nesta faixa afirmaram estar exaustos.

Os principais motivos apontados referem-se a estresse, correria do dia a dia, falta de condicionamento físico, má alimentação, problemas pessoais, problemas no trabalho, dentre outros.

De acordo com a nutricionista Lidiane Atala, parceira no projeto OCP Life, o cansaço físico é uma das principais queixas que ela recebe em consultório.

"É aquele cansaço que, mesmo você tendo uma boa noite de sono, é como se você não tivesse dormido", explica.

A profissional salienta que, com foco na alimentação, uma das principais causas é o excesso de cafeína (suplementos, bebidas energéticas e café), alimentação de baixa qualidade nutricional e doenças carenciais como, por exemplo, a anemia e a deficiência de vitamina B12.

"Altas doses de cafeína, por um período prolongado, podem afetar o sono e aumentar a sensação de cansaço”, ressalta.

Recuperação do organismo

Nutricionista Lidiane Atala
Nutricionista Lidiane Atala alerta sobre o alto consumo de cafeína | Eduardo Montecino/OCP News

Outra questão que deve ser levada em conta é a alimentação, que costuma ser negligenciada em razão da correria do dia a dia e de hábitos pouco saudáveis.

Dados do Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, da Fiocruz, apontam que a alimentação do adolescente brasileiro tem elevadas quantidades de sódio, açúcar e gordura saturada, e baixo índice de cálcio e vitaminas A e E.

 

 

Lidiane alerta que, em qualquer faixa etária, a alimentação é como se fosse uma receita de bolo, com diversos ingredientes que dão energia e promovem a recuperação do organismo, e se faltar algum dos ingredientes, o corpo não se recupera de forma eficaz.

“Dentro das nossas células existe a mitocôndria, que é como se fossem 'usinas' que produzem energia essencial para o corpo. Diversas doenças ocorrem se essas estruturas sofrerem alguma alteração", aponta.

Sendo assim, a avaliação por um profissional e a realização de exames podem indicar um tratamento e, também, a necessidade de melhorar os hábitos alimentares, "que promoverão a recuperação eficiente do organismo".

A nutricionista ressalta que alimentos antioxidantes aumentam o nosso 'prazo de validade', pois as moléculas desses alimentos anulam a ação dos radicais livres, que causam danos no DNA da célula e provocam várias doenças.

Azeite de oliva sendo derramado em uma tigela e azeitonas
Azeite de oliva extravirgem possui alto poder antioxidante | Foto Divulgação/Pexels

Dica da nutri

São alimentos com alto poder antioxidante:

  • Aveia
  • Azeite de oliva extravirgem
  • Linhaça
  • Ameixa preta
  • Frutas vermelhas (berries)
  • Alho
  • Nozes
  • Açafrão
  • Frutas cítricas

Sedentarismo e cansaço

Seja no trabalho, nos estudos ou em momentos de relaxamento, as pessoas costumam adotar uma postura errada, especialmente ao mexer no celular. Aos poucos, essa má postura vai se tornando algo mais sério e as dores começam a aparecer.

Sedentárias, passam horas sentadas. Cada vez mais cansadas, tendem a repetir o ciclo e piorar, pois o corpo precisa de movimento.

Ana e Cláudio se exercitam deitados de bruços com bastão na mão, supervisionados por Lucas
Lucas (C) destaca que a prática do exercício físico é essencial para ter mais disposição no dia a dia | Foto Divulgação/Bruna Donat

Para o educador físico e treinador Lucas Fliegner Gonçalves, um dos idealizadores do projeto OCP Life, o primeiro passo para mudar essa realidade é buscar uma atividade física que dê prazer.

"Não pode ser nada forçado, você tem que se permitir essa mudança. Se você optou por uma atividade, seja ela a caminhada, o pedal, a natação, jogar boliche, participar de uma competição de paintball, enfim, tem que ser algo que você goste de fazer”, indica.

Procurar fazer atividade junto a outras pessoas próximas, para manter a motivação, também é uma dica que pode auxiliar no processo de mudança.

"Quem pratica atividade física melhora os padrões de saúde, condicionamento físico, e deixa de se sentir constantemente cansado. Tem mais disposição", expõe.

Lucas destaca que viver cada vez mais conectado com o mundo virtual e deixar de lado o real é perigoso à saúde e afeta a qualidade de vida. O profissional aconselha maior conexão com o esporte e a natureza, o que ajuda a promover relaxamento.

“Atividades ao ar livre melhoram a disposição, a autoestima, você acaba conhecendo outros lugares e outras pessoas. Estar em contato com a natureza promove o equilíbrio físico e mental", ressalta.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger