Com o objetivo de resgatar a cidadania por meio do esporte, bem como a qualidade de vida e dedicação aos estudos, a Escolinha de Futebol do Seleto completa dois anos de uma iniciativa que transcende as quatro linhas.

Inaugurada em agosto de 2017, na cidade de Guaramirim, a escolinha atende uma média de 210 alunos de 7 a 15 anos, oferecendo oportunidades de prática esportiva sistemática para crianças e adolescentes, contribuindo para seu desenvolvimento social e físico, além de agir de forma preventiva em relação ao ingresso no mundo das drogas e do crime.

Um projeto todo realizado de forma gratuita, que vem contribuindo diretamente para formação e caráter de novos cidadãos, seja do sexo masculino ou feminino.

Ex-jogadores profissionais, Gomes (E) e Darci (C) comandam os treinos | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Professores conhecidos no mundo do futebol, como o ex-goleiro Darci e o ex-zagueiro Gomes são os responsáveis por iniciar as crianças no esporte, ensinando os primeiros fundamentos e os aprimorando através dos treinos, que acontecem três vezes por semana, em dois períodos, no campo do Seleto.

Mas a preocupação não se limita apenas ao atleta. A parte escolar tem importância semelhante, com a cobrança de boletins e uma novidade que está prestes a ser implantada para auxiliar ainda mais os jovens.

A partir da próxima semana, haverá reforço escolar no próprio estádio Municipal João Butschardt, com as disciplinas de português e matemática, às segundas e quartas-feiras, pela manhã e à tarde.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Um fator que promete aproximar ainda mais os jovens do projeto e afastá-los da ociosidade corriqueira nos dias de hoje.

“Queremos tornar o Seleto um local onde as crianças gostem de estar, que interajam, abracem, cumprimentem, enfim, que se socializem em épocas que as tecnologias estão a todo vapor e o calor humano diminuindo. O Seleto quer ser uma gota no oceano e ajudar a sociedade, investindo nas crianças e consequentemente no nosso futuro”, destaca Darci.

Demais atividades

Engana-se quem pensa que o ensino escolar e do futebol são os únicos propósitos impostos pela Escolinha do Seleto. O projeto social visa desenvolver a criança/adolescente como um todo, trabalhando também nas áreas de socialização, saúde, bem-estar e civismo.

No campo, são oferecidas atividades físicas especificas para cada categoria, com extra de academia, além do ensino ao patriotismo, com hino nacional executado em todas as partidas no Seleto.

Os pais também são envolvidos no projeto, com aulas de yoga, todas às quartas-feiras, em dois períodos. “Yoga é uma forma de propiciar saúde aos pais, que é um dos nossos pilares, e assim alcançar também a família do atleta”, declara Darci.

Aulas de yoga também acontecem no Seleto | Foto Divulgação

Mas não para por aí. Outro propósito do Seleto é criar algumas responsabilidades nas crianças para ajudar no seu desenvolvimento como ser humano.

Uma das formas, por exemplo, é levar o uniforme usado no jogo para lavar em casa e devolver limpo na data determinada. Caso não seja cumprido, o atleta fica fora do próximo jogo do time. Uma medida completamente apoiada pelos pais, conforme destaca Darci.

“Penso que essas atitudes valem mais que qualquer troféu que possamos conquistar, pois demonstra que de alguma forma estamos ajudando na formação desses alunos e principalmente que os pais estão comprando essa ideia”, ressalta.

Competições, revelações e suportes

Com a parte estrutural consolidada, a Escolinha do Seleto começou a participar de competições de base no ano passado, como a Copa ACEF, WM, CIEF e Campeonato de Escolinhas da Liga Jaraguaense.

Com isso, surgiram alguns talentos que tentam o sucesso no futebol em clubes tradicionais do sul do país.

É o caso de Bruno Lowen, hoje no Paraná Clube, e Kauã Dalmoro, no Criciúma. Além disso, mais atletas são esperados para avaliações no Flamengo e outros estão sendo monitorados pelo Athletico-PR.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Fator que reforça o trabalho da escolinha em diversas áreas, a ponto do projeto ser contemplado pela Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo Federal, em 2019, e já estar apto para captar recursos no ano que vem.

Além disso, conta com patrocínio de um laboratório de análises clínicas, alguns particulares que preferem ficar no anonimato, e apoio da Prefeitura de Guaramirim, que cede o estádio João Butschardt, espaço para aulas de reforço e cuida do campo.

“Acreditamos que pelo crescimento muito rápido que tivemos e a grande procura, teremos que em breve limitar as inscrições e fazer uma lista de espera. No momento ainda há vagas, principalmente no período da manhã. Também temos projeto de abrir um novo polo, mas sem data prevista”, finaliza Darci.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger