O governo federal inaugurou nesta segunda-feira (5), a primeira etapa da usina solar fotovoltaica flutuante, que transforma a luz solar em energia elétrica, instalada pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) no reservatório da Usina Hidrelétrica de Sobradinho, na Bahia.

O empreendimento, que aproveita a área represada do Rio São Francisco e tem capacidade de gerar de 1 megawatt-pico (MWp) de energia, foi desenvolvido com componentes elétricos da WEG.

O objetivo do governo federal é ampliar essa experiência, de instalar painéis solares em espelhos da água, para atrair investimentos privados e promover leilões de geração de energia renovável na área de transposição do Rio São Francisco.

Foto Alan Santos/PR

De acordo com os ministérios de Minas e Energia e do Desenvolvimento Regional, é possível elevar o potencial energético abrangido pelo Projeto de Integração do Rio São Francisco, estimado em 3,5 GigaWatts, e garantir recursos para o bombeamento das águas do rio, que hoje custam R$ 300 milhões por ano.

“Esse solo escaldante e esse calor abundante é o que vão gerar energia para que os motores funcionem e irriguem o nosso sertão de verdade”, disse o presidente Jair Boslonaro.

Participação da WEG

Em 2016, a WEG anunciou a participação em dois projetos de energia solar flutuantes: o de Sobradinho e o de Balbina, no Amazonas.

A WEG fez o fornecimento de todos os componentes elétricos do projeto em pareceria com a Sunlution, empresa especializada em geração distribuída a partir da energia solar, para a instalação dos flutuadores.

 

 

Na época, a empresa divulgou que o empreendimento contaria com a instalação de placas fotovoltaicas de 1,0 megawatt (MWp) de energia em cada uma das hidrelétricas. Posteriormente, a potência será ampliada para 5,0 MWp.

As placas fotovoltaicas ocupam uma área de 50 mil metros quadrados (cinco estádios de futebol), o que equivale a somente 0,002% da área total de cada reservatório.

Assista ao vídeo da inauguração

 

Com informações da Agência Brasil.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger