A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs) emitiu um comunicado oficial repudiando com veemência a forma como foram encaminhados à Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) os Projetos de Lei oriundos do Governo do Estado, que trata de reajustes e concessões de benefícios e projetam um custo exorbitante aos cofres públicos.

A manifestação se alinha às de outros setores representativos do meio empresarial e da sociedade civil quanto aos efeitos de medidas colocadas à votação "sem a necessária transparência e discussão diante do custo de novas despesas públicas em momento inoportuno e descabido."

"Reafirmamos o posicionamento da Acijs, apoiado na trajetória de mais de 8 décadas como representante da classe empresarial de Jaraguá do Sul. Corroboramos valores da gestão eficiente, pautados na boa ética da governança responsável e da defesa das práticas de compliance, seja no meio empresarial ou na atividade pública, reafirmando permanente compromisso de colaboração com o poder público, mas alicerçado nos fundamentos que permeiam a história da entidade", diz o texto.

Em outra parte a Acijs destaca que " a concessão de privilégios, a criação de cargos, aumentos de salários e/ou de benefícios e gratificações, caminha em direção contrária ao quadro de dificuldades vivenciado pela maioria da população, somadas às dificuldades de empresas que se ressentem de mais apoio para a superação dos efeitos da pandemia.

Conforme as projeções, somente com reajustes e bonificações, a previsão é de que gaste cerca de R$ 1,3 bilhão em 2022, que se soma a outros ajustes como é o caso de uma reforma administrativa que inclui a criação de secretarias ao custo de R$ 16,3 milhões ao ano.

Ainda que o Governo do Estado justifique tais medidas, que constituem privilégios, como algo possível diante da situação do Tesouro Estadual, em desempenho de receitas que é justamente decorrente da capacidade de superação do setor produtivo e da contribuição de vários setores que souberam dar exemplos de sacrifícios para que o Estado não sucumbisse à crise, seja qual for o argumento, é inadmissível medidas que soam como acordos com vistas às eleições de 2022", segue a nota da entidade que encerra convocando o parlamento de SC para "demonstrar sua capacidade de discernimento e evitar um dano que pode ser avassalador às finanças públicas em futuro próximo, pelos precedentes que se estabelece e comprometendo a capacidade de reação da economia estadual.

É preciso que a classe política volte a se alinhar em torno de uma bússola orientada pela moralidade pública, no gesto de sensatez em relação ao que a sociedade espera de seus representantes públicos, sob pena de um desgaste ainda mais grave em sua imagem e de credibilidade em momento tão decisivo da história de Santa Catarina e do Brasil."

Investimentos

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,306 bilhão em novembro deste ano. Segundo dados do Tesouro Nacional divulgados na terça-feira (21), em Brasília, as vendas do programa atingiram R$ 2,993 bilhões no mês passado. Já os resgates totalizaram R$ 1,687 bilhão, sendo R$ 1,606 bilhão relativo a recompras e R$ 80,6 milhões a vencimentos, quando o prazo do título acaba e o governo precisa reembolsar o investidor com juros.

Portos

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) emitiu uma manifestação em defesa da concessão dos portos de Itajaí, Imbituba e São Francisco do Sul.

A entidade "vê com preocupação" os movimentos de resistência aos processos de concessão do Porto de Itajaí, que já está em fase adiantada, e de desestatização dos Portos de Imbituba e de São Francisco do Sul.

Mínimo

O relator do projeto de lei do Orçamento de 2022, deputado Hugo Leal (PSD-RJ), propôs o salário mínimo no valor de R$ 1.210 para o próximo ano. O valor consta do parecer apresentado na segunda-feira (20) na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso.

Esse montante representa aumento de 10,04% em relação ao salário mínimo atual de R$ 1,1 mil

Entrada

O governo federal editou norma na segunda-feira (20) passando a exigir teste negativo para Covid-19 e comprovante de vacinação para viajantes vindos de outras nações que desejem entrar no país por via aérea. As novas regras entram em vigor nesta segunda-feira.

Crédito

De acordo com o Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito da Serasa Experian, a procura por linhas de crédito da população do país que possui renda pessoal mensal de até R$ 500 cresceu 13,9% em novembro deste ano na comparação com o mesmo mês de 2020.

 

Médicos

O Ministério da Saúde definiu a estrutura de cargos, salários e benefícios dos profissionais que atuarão no Programa Médicos pelo Brasil, que substituirá gradativamente o Mais Médicos. A resolução, aprovada pelo Conselho Deliberativo da Agência para o Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde (Adaps), foi publicado nesta terça-feira (21) no Diário Oficial da União.

Omicron

A Coreia do Sul, Holanda, Alemanha e Irlanda estão entre os países que reimpuseram lockdowns parciais ou totais ou outras medidas de distanciamento social nos últimos dias. As infecções pela Ômicron estão se multiplicando rapidamente na Europa, nos Estados Unidos (EUA) e na Ásia, inclusive no Japão, onde um único foco em uma base militar chega a no mínimo 180 casos.