Em tempos de atenção à saúde de forma global, cuidados com a alimentação e atividade física melhoram muito a qualidade de vida, exames preventivos de acordo com a faixa etária e condições específicas de cada pessoa permitem prever ou tratar precocemente situações que se apresentem.

Por isso, a visita ao seu médico de confiança deve ser planejada. Porém a relação de patologias bucais com a saúde geral não é tão conhecida.

Estudos evidenciam a influência das bactérias bucais na saúde do indivíduo como um todo. Estas bactérias não são causadoras diretas das doenças sistêmicas, mas têm um papel importante sobre elas, sendo consideradas como fatores de risco.

Quando há uma infecção crônica na boca, são constantemente lançados produtos bacterianos na circulação sanguínea.

Estes produtos estimulam a liberação de uma série de substancias químicas que irão influenciar na formação de ateromas (gordura na parede dos vasos sanguíneos), algumas espécies bacterianas comumente encontradas nas bolsas periodontais também foram encontradas nestas placas de gordura.

Estes achados sugerem que as bactérias presentes nas inflamações orais caiam na circulação sanguínea chegando a outros órgãos.

Além das infecções oriundas do canal dos dentes (endodônticas), as infecções periodontais (no entorno das gengivas), estão associada a mais de dez tipos de bactérias e é considerada um fator de risco para doenças cardiovasculares como a aterosclerose, o infarto do miocárdio, o acidente vascular encefálico e hipertensão arterial, estudos recentes também a associam ao parto prematuro.

Além de ser um fator de risco para as doenças cardiovasculares, as alterações periodontais também são foco de estudos considerando a relação entre a Diabetes Mellitus e a doença periodontal.

Portadores de periodontite podem ter predisposição à resistência a insulina e significativa piora do controle da diabetes. As doenças periodontais são um achado frequente em grande parte da população.

Elas ocorrem, principalmente devido à falta de um programa de saúde bucal preventiva, quando fazemos consultas de rotina, damos ao cirurgião-dentista a chance de controlar, evitar ou tratar precocemente as doenças periodontais.

A doença periodontal pode acometer somente o tecido gengival, neste caso temos um quadro de gengivite. Já no caso da alteração afetar além da gengiva, os tecidos que sustentam os dentes, temos a periodontite.

Na gengivite ocorre uma inflamação causada pelo biofilme (placa bacteriana), uma fina película que adere à superfície dos dentes quando a higiene bucal não é realizada de forma adequada. Nesta patologia, nota-se comumente sangramento com o uso do fio dental ou durante a escovação.

Inchaço gengival e aspecto de gengiva “solta” também podem ocorrer em alguns casos. Quando a gengivite não é tratada, ela tende a evoluir para a Periodontite.

Neste estágio, a doença atinge os tecidos de suporte dos dentes: gengiva, ligamento periodontal, osso alveolar e cemento radicular.

Na periodontite, além do sangramento gengival, com o avanço da perda das estruturas de suporte os dentes afetados podem apresentar mobilidade, recessão gengival e em casos avançados dor. Portanto, fica clara a relação da doença periodontal com as desordens sistêmicas.

Desta forma é indispensável um controle periódico como meio de prevenção não só das doenças bucais como também a diminuição de fatores de risco às doenças sistêmicas. Prevenir é sempre o melhor caminho.