Uma afirmação muito forte, mas ao longo dos últimos anos, diversos estudos demonstraram que trabalhar sentado ou passar grande parte do tempo nessa posição, pode causar tanto mal à saúde quanto ao tabagismo. Isso porque quanto mais tempo uma pessoa passa sentada, mais propensa ela se torna a desenvolver problemas crônicos como doenças cardiovasculares e diabetes, além de outras condições adversas para a saúde.

As mortes prematuras acontecem sem muitas explicações e não dá mais para se apegar a genética boa dos avós que viveram até os 100 anos com uma saúde de ferro. Hoje a realidade é muito diferente da que eles viveram, o tempo que passamos sentados é consideravelmente maior ao tempo em que eles ficavam. Suas atividades laborais eram muito diferentes, ficavam mais tempo em movimento ou em pé. Assim, confiar na genética já não é mais uma alterativa.

Uma pesquisa publicada em 2014 no British Journal of Sportes Medicine, sugere que, quando uma pessoa passa o dia todo sentada, isso acaba encurtando seus telômeros, pequenas estruturas que protegem as pontas dos filamentos de DNA. À medida que os telômeros ficam menores, aumenta a velocidade do desgaste das células e consequentemente do envelhecimento. De acordo com os pesquisadores, quem passa menos tempo sentado não apenas tem esse processo interrompido como em alguns casos os telômeros acabam ficando até maiores, o que ajuda a manter as células mais jovens.

Outra pesquisa sugere que o açúcar e a gordura são metabolizados de forma diferente quando estamos sentados. Permanecer sentado por períodos prolongados induz alterações bioquímicas na atividade de uma enzima chamada lipase lipoprotéica. Sua função normalmente é ajudar os músculos a eliminar gorduras da corrente sanguínea. Quando ficamos muito tempo sentados, esta enzima simplesmente "desliga”, acumulando a gordura no sangue e em certas partes do corpo que tendem a formar depósitos, ou seja, mais gordura e menos músculos. É exatamente isso que faz aumentar os riscos de desenvolver diabetes, obesidade ou problemas do coração. Além dos riscos ergonômicos. É perceptivo que passar um longo período sentado, causa dor nas pernas, dor nas costas e outros tipos de incômodos posturais.

Geralmente, a tendência é de nos inclinarmos para a frente, induzindo o corpo a assumir novos padrões posturais e uma desarmonia muscular e articular. Os pulmões tem menos espaço para se expandir e limita a respiração, reduzindo o volume de oxigênio na corrente sanguínea. O corpo sofre e se reorganiza para encontrar um conforto, mesmo que seja em posturas ruins.

O problema não é o excesso e sim a rotina dele. Nosso corpo é feito para estar em movimento, mesmo que seu trabalho seja na posição sentada, realize pequenas pausas e se levante, caminhe, faça isso todos os dias. Mas não permaneça longos períodos sentado. E sobre a atividade física, essa deveria ser requisito obrigatório em sua vida. Ela pode ajudar a amenizar os danos causados pelo tempo que você já passou sentado.

Nenhum problema de saúde aparece de uma hora para outra, você vai construindo a sua condição de saúde, dia após dia. Se a esperança é ter longevidade e chegar na velhice com a mesma saúde de ferro que os seus avós, levante da cadeira e tenha dedicação com você. No seu 1% de motivação, seja 99% de dedicação.

Andreia Chiavini Movimento e Bem Estar

Endereço: Rua Emílio Stein 84 - Centro

Contato: Telefone e Whats 47 3271-8297

Redes sociais: Facebook e Instagram @andreiachiavini.pilates ou Instagram @andreiachiavinicentrointegrado | Site: www.andreiachiavini.com.br