Segundo a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), duas chuvas de meteoros devem dar um belo espetáculo no céu à noite essa semana. Na madrugada entre quinta (29) e sexta (30), ocorre a máxima da Alfa Capricornídeas, e na noite seguinte, entre sexta (30) e sábado (31), a máxima da Delta Aquáridas do Sul.

Alfa Capricornídeas

A atividade da Alfa Capricornídeas ocorre do dia 3 de julho a 15 de agosto com uma máxima em 30 de julho. Não é uma chuva de meteoros muito intensa e raramente produz muitos meteoros. Entretanto, ela é notável por produzir meteoros explosivos e algumas bolas de fogo durante seu período de atividade.

A chuva tem seu dia de pico na quinta-feira (29) e está prevista a queda de cerca de cinco meteoros por hora.

Delta Aquáridas

Diferente da Alfa Capricornídeas, a Delta Aquarídas do Sul é uma chuva mediana, melhor vista nas regiões tropicais do Hemisfério Sul. Sua atividade ocorre entre o dia 12 de julho e 23 de agosto. Ela ocorre na sexta (30) e pode gerar até 16 meteoros por hora.

Os meteoros dessa chuva são geralmente meteoros fracos que não apresentam trilhas persistentes nem bolas de fogo.

Foto: Jocimar Justino/Arquivo Pessoal

O fenômeno poderá ser visto de todo o país, mas para os moradores de Santa Catarina a observação será mais propícia, de acordo com o astrônomo amador, Jocimar Justino.

"Essas chuvas são totalmente favoráveis [para observação] para nós no hemisfério Sul, em Santa Catarina", explica o astrônomo amador, Jocimar Justino.

Entre o sábado (24) e o domingo (25), a estação de monitoramento de Monte Castelo, no Norte catarinense, fez o registro de alguns exemplares da chuva Delta Aquáridas do Sul.

Confira as dicas de observação

Segundo a Bramon, as chuvas de meteoros poderão ser observadas a olho nu, sem a necessidade de algum equipamento. O melhor horário para assistir está previsto entre 22h e 0h30.

"Basta procurar um local adequado e olhar para o céu na hora certa", de acordo com a entidade.

"Essa dica serve para Santa Catarina e também para todo o Brasil. O ponto de referência para ver as chuvas é o planeta Júpiter. Ele é o ponto [estrela] mais brilhante na direção Oeste, onde o sol nasce. Como os radiantes destas duas chuvas estão praticamente na mesma direção, vai ser bem fácil acompanhar. Não quer dizer que só surgirá deste ponto do céu, mas se você traçar uma linha da trajetória do meteoro eles vão parecer surgir deste ponto", explica Jocimar.

Foto: Dr. Carlos Jung - BRAMON/Reprodução

  • Procurar um lugar escuro, preferencialmente em um local afastado das grandes cidades, para evitar a poluição luminosa;
  • Desligar as luzes em volta para tornar o local ainda mais escuro;
  • Utilizar uma cadeira de praia ou colchão para se deitar e observar o céu de forma mais confortável;
  • Cobertas e uma garrafa de café quente à mão podem ser boas companheiras para a noite de observação.

 

Cuidado com a Lua

Esse ano, a Lua em fase minguante, pode atrapalhar a visualização de ambas as chuvas. No entanto, até ela nascer (por volta da meia noite), o céu estará escuro o suficiente para se observar uma boa quantidade de meteoros. Depois disso, a tendência é a luminosidade da Lua ofuscar os meteoros mais tênues.