Embora esteja entre as propostas do governo municipal de Jaraguá do Sul, a ampliação do sistema de ensino em tempo integral nas escolas do município deve ficar para o próximo ano. O motivo é a limitação do espaço físico para abrigar os alunos durante todo o dia letivo estendido.

O secretário municipal de Educação, Rogerio Jung, explica que não haverá ampliação na oferta do ensino integral em 2019 por falta de escolas com estrutura física adequada. “Por exemplo, na escola Albano Kanzler, que tem 800 alunos, não tem como colocar todos os alunos na escola o dia todo”, comenta o secretário.

Ele observa que as escolas do município não foram criadas para comportar o modelo de ensino integral. No entanto, o governo pretende ampliar o sistema em uma ou duas escolas no próximo ano, reformulando e adequando unidades já existentes.

Atualmente, são três escolas que oferecem o ensino em tempo integral: a Luiz Gonzaga Ayroso, Ribeirão Molha e Adelino Francener.

Já nas escolas estaduais, devido ao momento de transição de governo, com a desativação das Agências de Desenvolvimento Regionais (ADR) prevista para a semana que vem, ainda não há informações sobre se novas escolas estaduais deverão passar a oferecer o modelo integral neste ano.

No entanto, o sistema já funciona em duas escolas, a Heleodoro Borges e Holando Marcelino Gonçalves - Homago.

O diretor da Heleodoro Borges, Leopoldo Diehl Filho, informa que neste ano a unidade passa a oferecer o terceir o ano do ensino médio no modelo integral, completando o ciclo iniciado em 2017, que começou com a implantação do primeiro ano.

“Agora, completamos o ciclo, neste ano, onde será trabalhado com os alunos do terceiro ano o tema mercado de trabalho”, completa o diretor.

A unidade conta hoje com 160 alunos matriculados, e as matrículas seguem até o dia 11 de fevereiro.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?