Capitão do penta em 2002 com a seleção brasileira, o ex-jogador de futebol Cafu está sendo investigado pela Polícia Civil de São Paulo por suporta ligação com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Um relatório das autoridades aponta para registros de depósitos em dinheiro feitos pelo PCC em favor de Marcos Evangelista de Morais, o nome real de Cafu, para compra de um terreno que pertencia ao ex-lateral na cidade de Barueri (SP). Os supostos valores não foram citados.

Os repasses estavam listados em um celular apreendido com Décio Gouveia Luiz, o Décio Português, que se transformou em uma das lideranças da organização após a prisão de Marcola.

Procurado pela Veja, Cafu negou qualquer irregularidade. “Não procede [essa história de] venda de imóvel, casa ou terreno. Nada disso procede, até porque eu não tenho nem terreno em Alphaville”, afirmou.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger