Em entrevista coletiva, em São Paulo, o Ministério Público do estado (MP-SP) pediu à Justiça o arquivamento da investigação que apura a denúncia de estupro do jogador Neymar contra a modelo Najila Trindade.

A decisão foi anunciada pelas promotoras Estefânia Paulin e Flávia Merlini do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid).

"Após mais de um mês de exaustiva diligência feita pela delegacia e pelo acompanhamento do MP, decidimos pelo arquivamento por não haver provas suficientes do que foi alegado pela própria vítima", explicou Flávia Merlini.

"Havia lesões apenas em um dedo. Pelo laudo particular apresentado pela vítima, não entendemos que havia uma lesão que comprovasse o estupro", completou Estefânia.

Foto Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo; Luisa Gonzalez/Reuters

Agora, a Justiça decidirá se homologa ou não o pedido do MP. Vale ressaltar que caso haja novas provas, o inquérito pode ser reaberto.

No último dia 29 de julho, a delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher já havia concluído o inquérito que apurava as acusações de estupro, decidindo não indiciar o jogador.

“Esse vai ser um capítulo jamais esquecido na minha vida por muitos motivos, o principal deles ‘O DANO’ causado em mim, na minha família e nas pessoas que realmente me conhecem. Vou ser sincero e não vou dizer que estou feliz, mas sim aliviado. A cicatriz vai continuar para me lembrar o quanto o ser humano é capaz de fazer coisas boas mas também de fazer coisas RUINS!”, discursou Neymar nesta sexta-feira (9), em suas redes sociais.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger