“Eu sou apaixonada pelo muay thai. É uma arte que me envolve muito e é a minha praia”. Essas palavras de apreço pelo esporte fez Monique Janaina Piske deixar uma vida pacata de lado para se tornar um dos principais nomes do muay thai brasileiro.

Lutadora da arte marcial há apenas três anos, a guaramirense vem de uma ascensão meteórica nos octógonos e está prestes a fazer a luta mais importante da carreira.

Primeira catarinense a lutar no Portuários Stadium, o maior estádio de muay thai do Brasil, Monique disputará o cinturão mais cobiçado entre os lutadores da modalidade profissional, na nova edição do evento, que acontece no dia 10 de novembro, em Santos (SP).

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Uma vitória no combate diante da paulista Marcella Monacchi ainda lhe renderá a liderança do ranking nacional na categoria 70kg, um feito que seria inédito para Jaraguá do Sul.

Para conseguir tamanho feito, sobra dedicação em sua preparação. Acompanhada pelos professores Tiago Baader e Rafael Baader, a atleta e instrutora da equipe Jaraguá Thaiboxing vem realizando de dois a três treinos por dia, entre físicos e técnicos, para chegar na luta em sua melhor forma.

Além disso, ela busca aperfeiçoamento com profissionais de outras academias renomadas, como a Chute Boxe, de Florianópolis e Curitiba (PR), onde adquiriu uma experiência ainda maior com destaques do MMA brasileiro. Todo um planejamento com o objetivo de seguir em franca evolução na carreira.

“Trabalho duro a cada dia em relação a treinos. Espero conseguir chegar no objetivo, mas também tenho consciência que é trabalho duro de ambos os lados. Meu maior sonho no momento é conquistar esse cinturão e me tornar a número 1, mas estou trabalhando pesado porque tenho muita coisa boa me esperando também”, disse a lutadora de 29 anos.

Currículo de vitórias

Em três anos no muay thai, Monique Piske ostenta um currículo que só confirma o porquê é tratada como um dos principais nomes da arte marcial no Brasil.

São oito vitórias e apenas uma derrota no cartel, sendo bicampeã estadual e nacional de muay thai, além de títulos na Copa do Brasil de kickboxing e no Joinville Fight Night de MMA.

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Conquistas que a colocam no seleto grupo de lutadores que levam a região aos mais importantes eventos de luta no país e no mundo, como os jaraguaenses Willian Lima, Taila Santos e Leandro da Veiga.

“Poder fazer parte desse momento que o esporte vive na nossa região é muito satisfatório pra mim. Isso tudo é resultado da sua dedicação e força de vontade. Me sinto honrada em fazer parte dessa história e também servir de exemplo ou até mesmo espelho a outras pessoas”, destacou a lutadora.

Mas os sonhos da guaramirense vão muito além do cinturão do Portuários Stadium e liderança do ranking nacional.

“Quero muito lutar no Mundial de muay thai na Tailândia e vencer o Portuários pode ser um passo importante. Também pretendo estar em eventos de outras artes marciais como WGP (kicboxing) e quem sabe o UFC um dia”, finalizou.

Falta de apoio

Assim como outros lutadores da região e atletas das mais diversas modalidades, Monique sofre com a falta de patrocínios. Hoje, ela conta com apoiadores que dão um suporte nos períodos pré-luta, com o fornecimento de suplementos.

Foto: Eduardo Montecino/OCP News

Porém, a atleta segue na busca por aportes financeiros que viriam auxiliar nos custos de viagens, campeonatos e treinos.

“Todos sabem que esse esporte no Brasil ainda não tem tanta visão e valorização. Por isso, muitas vezes temos que conciliar trabalho com treino, o que não é nada fácil. Muitos até desistem dos sonhos, porque se torna difícil arcar com todos os gastos”, relatou.

Para ajudar na carreira da lutadora, basta entrar em contato pelo telefone (47) 99175-5685 ou na página do facebook da Jaraguá Thaiboxing.

LEIA TAMBÉM:

Karatê de Guaramirim cresce e vive fase histórica

Taila Santos realiza seminário de MMA em Jaraguá do Sul no próximo mês

Dedicação e conquistas: o momento histórico das lutas em Jaraguá do Sul

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?