Em busca de uma renda extra e apaixonados por andar de bicicleta, um grupo de moradores de Jaraguá do Sul se uniu para formar o Ciclo Entregas. O coletivo transporta documentos, comida e encomendas dentro da cidade de uma maneira rápida e totalmente sustentável, de segunda a segunda e sem tempo ruim.

A ideia foi inspirada em um projeto de Joinville, que carrega o mesmo nome. De acordo com uma das integrantes do grupo, Camila Fernandes, o coletivo já conta com seis pessoas em Jaraguá, sendo três deles entregadores fixos.

 

 

"Por enquanto, atendemos por WhatsApp, mas estamos estudando formas de estruturar melhor, contratar mais pessoas e expandir o negócio", explica Camila.

A média de pedidos do Ciclo Entregas é de 20 por semana. Os trabalhos iniciaram em abril e o projeto já conta com estabelecimentos parceiros e negociações com aplicativos de delivery.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Camila explica os ciclistas ganham por entrega e normalmente, são eles próprios que organizam os horários e locais. "Quem está mais perto do pedido tem preferência", observa.

O valor do serviço é cobrado conforme a quilometragem percorrida, que é calculada no Google Maps. São levados em conta a distância, o trajeto mais rápido de bicicleta e o tempo de deslocamento.

"Nosso objetivo não é apenas entregar coisas, mas sim promover o ciclismo e práticas saudáveis para o corpo e meio ambiente", destaca Camila.

Entregadores percorrem mais 30 km por dia

O prazer de andar de bicicleta, aliada a vontade de melhorar o ambiente onde vive, fez o jovem Denis Renato da Silva Junior, de 20 anos, a fazer parte do Ciclo Entregas.

Segundo ele, os ciclistas chegam a percorrer de 30 a 40 quilômetros por dia. Anteriormente, Junior estava trabalhando em um escritório.

"Apesar dos horários fixos, folgas no fim de semana e um bom salário, não me sentia feliz de verdade. Hoje, vemos que estamos se esforçando juntos para que o coletivo aconteça", enfatiza.

Sobre as ciclovias em Jaraguá do Sul, Silva Junior comenta que existem muitas, mas que se concentram mais na área central da cidade. Onde não tem, os entregadores precisam andar nas ruas com os carros.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

"Estamos acostumados com a situação, mas tem alguns problemas em relação a respeito e atenção dos motoristas. Ao mesmo tempo, tem muita gente consciente também", pontua.

Ciclovias estreitas e carros estacionados no meio do percurso são outros problemas enfrentados pelos entregadores.

Silva Junior comenta que o coletivo se inspira em um ciclista de Tubarão, que trabalha com transporte de entregas e bens e faz de 80 a 120 km por dia. "Um dia, quem sabe, teremos um ciclo entregador que rode tanto quanto ele", declara.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger