Olhe um pouco para trás e veja como os seus pais e avós construíram patrimônio: através da aquisição de terras, ou melhor, aquisição de imóveis, investimentos que proporcionaram uma renda proveniente da cultivação dessas terras e aluguéis das
propriedades.

Essa construção de patrimônio representa ainda hoje um legado passado de geração em geração. Só que, com a evolução dos mercados, acumular riquezas não significa mais apenas ser dono de propriedades. Por isso, hoje quero falar um pouco mais sobre os fundos imobiliários!

Os fundos imobiliários (também chamados de FIIs) são investimentos que compram bens como shoppings, salas comerciais, hospitais, hotéis e uma série de outros imóveis. Quando você investe em um fundo imobiliário, ao invés de comprar um imóvel, você compra cotas de um fundo, que são proporcionais ao valor que você investe.

O fundo é criado por um administrador, sendo sempre uma instituição financeira, onde há um gestor profissional e uma equipe atuando na análise dos imóveis, possibilitando a tomada de decisão na hora de comprar ou vender os imóveis que compõem o fundo.

O investidor tem direito aos rendimentos dos aluguéis proporcionalmente a quantidade de cotas que possui em sua carteira. Para mensurar qual é a melhor escolha, dependemos de diversos fatores como capacidade de investimentos, objetivos pessoais e momento de mercado. Selecionei algumas das principais vantagens e desvantagens entre investir em um imóvel ou através de fundos:

Fundos imobiliários

Vantagens: alta liquidez (possibilidade de vender as suas cotas mais rápido); baixo valor de investimento; diversificação; isenção de imposto sobre os rendimentos pagos.

Desvantagens: taxa de administração para o gestor; cobrança de IR sobre ganho de capital na venda das cotas; taxa de corretagem para compra e venda (dica: nem toda instituição cobra esta taxa!).

Imóveis

Vantagens: isenção de impostos sobre o ganho de capital na venda do imóvel em alguns casos; fator psicológico aguçado quanto a possibilidade de enxergar o seu imóvel; possibilidade em encontrar oportunidades na região.

Desvantagens: alto valor de investimento; imobilização do patrimônio; baixa liquidez; risco de ficar sem renda pela ausência de inquilinos; custos de manutenção com o imóvel como impostos e condomínio.

Todo investimento tem duas bases para análise: retorno e risco. Os fundos imobiliários também têm seu risco, considerando por exemplo uma pandemia, onde os shoppings ficaram fechados por meses, gerando impacto negativo nas cotas e redução ou paralisação dos aluguéis.

Mesmo assim, vale a pena acompanhar os FIIs e entender se eles fazem sentido para a sua estratégia de investimentos. Negociados diretamente na bolsa de valores, os fundos imobiliários podem ser uma boa alternativa para compor uma carteira geradora de renda.

Ana Kamila, planejadora financeira CFP. E-mail ana.casagrande@warren.com.br.