Você já ouviu falar, leu ou ficou curioso???

Sempre sou questionado sobre  esta técnica chinesa, aliada a Acupuntura.

A Moxa é feita de artemísia, uma erva abundante na China. A mesma utilizada para fazer a bebida Absinto.

Na China antiga, principalmente no Norte, pela proximidade com a Mongólia, o frio era intenso, e as doenças provocadas pelo frio eram muito frequentes. Eles precisavam tratar com agulhas e calor, mas não existia luz  elétrica. Com toda sabedoria chinesa, adaptaram o uso da artemísia para aquecer as agulhas e promover os tratamentos com grande eficácia.

Nas minhas viagens de estudo à China, pude observar que hoje em dia, usam moxa muito raramente nos tratamentos e em locais de temperaturas mais baixas. Hoje ela foi substituída pela moxa elétrica, que nada mais é do que a nossa luz infravermelha.

Portanto, no Brasil, com nosso clima tropical , e a luz elétrica nos facilitando o uso de calor de outras formas, a moxa está em desuso. Mesmo porque a fumaça e o cheiro se tornam desagradáveis principalmente para quem sofre de alergias respiratórias!

Hoje temos técnicas muito mais modernas e eficazes para tratamento de muitas doenças funcionais, principalmente as de caráter inflamatórias e dolorosas.

Os tratamentos com eletroacupuntura, ou seja Uso de frequência elétrica nas agulhas para potencializar o efeito, é o mais eficaz com resultados rápidos e duradouros.

Importante sempre procurar um profissional com formação na área da saúde e especialização em Acupuntura, que se atualiza frequentemente, porque apesar da acupuntura ser milenar, as pesquisas são frequentes aliando-se sempre a um ótimo profissional.