“♫ With the lights out, it's less dangerous/ Here we are now, entertain us/ I feel stupid and contagious/ Here we are now, entertain us” (Smells like teen spirit, Nirvana)

Semana passada tratei dos limites, às vezes difíceis de identificar, entre sanidade e loucura na internet. E de doenças que estão surgindo como consequência da tecnologia, especialmente da internet na palma das mãos.

Nesta linha, será que a internet também está criando sentimentos novos? Há dez anos, Leigh Alexander, escritora e articulista em diversas revistas e sites, escreveu sobre cinco novas emoções fomentadas pela internet.

Vaga e torturante ansiedade.

E essa ansiedade vaga e torturante pode aparecer por vários motivos, sempre ligadas às mensagens instantâneas: medo de ter ofendido o interlocutor; medo de violar a etiqueta desse meio de comunicação (embora, aqui entre nós, cada vez menos as pessoas parecem estar preocupadas com educação e etiqueta – tem gente que até acha bonito chefes do executivo serem publicamente desbocados); medo de causar má impressão.

No caso, esta ansiedade tem como gatilho justamente o silêncio na conversa, quando a resposta do interlocutor ou do grupo demora para vir. O ansioso passa a projetar os piores cenários (quando, na maioria das vezes, é apenas uma demora na resposta do outro, pura e simplesmente).

Raiva repentina e irracional por causa de respostas na internet.

Leigh, quando escreveu seu artigo, talvez não tenha imaginado que uma década depois raiva irracional na internet se tornaria rotina.

Mas ela, há dez anos, se referia a pessoas que têm dificuldade de interpretar respostas no Twitter (e, acrescento, no WhatsApp e afins) e passam à agressão gratuita por conta de seu despreparo intelectual ou psicológico.

Ansiedade com desespero por excesso de internet.

Neste caso, a emoção simbiótica de ansiedade e desespero decorre do longo tempo que a pessoa passa sem propósito na internet, navegando com várias janelas abertas, em estado de entorpecimento ou quase isso.

A pessoa até tem noção do uso inútil da internet, mas não consegue se desligar e passa da leve vergonha à ansiedade e ao desespero.

Desejo e desconforto com consumo de imagens impróprias.

A quarta emoção é um misto de desejo e desconforto por causa do consumo de imagens ou informações impróprias, desagradáveis ou inadequadas. Em alguns casos, a pessoa pode ficar viciada por esse sentimento confuso. Não consegue parar ao mesmo tempo que pensa: “quem, diabos, publicaria isso?”.

Cansaço e desconexão.

A autora se refere, neste caso, à pessoa que produz grande quantidade de informação para atingir algum objetivo específico e chega num momento que resolve simplesmente largar tudo depois de inúmeras idas e vindas tentando deixar o material melhor. Em alguns casos, abandona tudo efetivamente, em outros casos manda do jeito que está, mesmo insatisfeita com o resultado.

Como se percebe, essas novas emoções são mesclas de sentimentos cujos gatilhos são comportamentos na internet. E aí, se identificou com alguma? Estamos aqui agora, estúpidos e contagiosos.