As últimas notícias nacionais e estaduais revelaram uma melhora do ambiente econômico desde a eleição de outubro. Muito desse clima se deve ao fim de um ciclo de incertezas políticas no Brasil. E pesquisa Ibope divulgada ontem apontou para essa nova onda.

Segundo o levantamento, três em cada quatro brasileiros, ou seja, 75%, acreditam que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) está no caminho certo. Outros 14% avaliaram que Bolsonaro está no caminho errado e 11% não souberam ou não quiseram responder.

Quanto maior a renda familiar, maior o percentual dos que acreditam que o presidente eleito está tomando decisões acertadas.

Entre os que possuem renda familiar de até um salário mínimo, 70% acreditam que Bolsonaro está trilhando um bom caminho, percentual que aumenta conforme a renda familiar e chega a 82% entre aqueles cuja renda é superior a cinco salários mínimos.

A pesquisa também mostra otimismo em relação ao próximo ano. Cerca de dois a cada três brasileiros (64%) têm expectativa de que o governo Bolsonaro será ótimo ou bom. Outros 14% acham que será ruim ou péssimo, 18% avaliam que será regular e 4% não souberam ou não quiseram responder.

Para os brasileiros, a prioridade do governo deve ser melhorar serviços de saúde e promover a geração de empregos. Não por acaso, saúde e desemprego se destacam entre os principais problemas enfrentados pelo Brasil, de acordo com a pesquisa.

O resultado do levantamento aumenta ainda mais a responsabilidade da equipe que assume em janeiro.

Os desafios são enormes, os problemas não serão resolvidos de um dia para o outro, porém, sinalizações importantes de uma nova era na política e na condução econômica ajudam a tirar o brasileiro da maré de pessimismo que imperou nos últimos quatro anos.

Governo atual

Enquanto Bolsonaro surfa uma boa onda, o presidente Michel Temer encerrará o mandato com rejeição de 85% dos brasileiros, segundo a pesquisa Ibope, um dos mais baixos índices de popularidade desde o governo do ex-presidente José Sarney.

Apesar do número ainda elevado, houve queda em relação à última pesquisa, em setembro, quando a rejeição era de 92%.

Sem tratamento especial

Pessoal do Novo de Jaraguá do Sul em noite de comemoração e acompanhamento dos projetos do deputado eleito pela sigla, Gilson Marques. Na foto, Guilherme Vogel, Ednilson dos Passos, Gilson Marques, Karin, Rodrigo, Igor e Douglas.

Ao discursar, Gilson defendeu que a população precisa ver seus representantes como servidor e não autoridade. “Após eleito, eu não mudei, as pessoas mudaram. Eu não preciso de estrelismo, de tratamento especial, mas as pessoas fazem isso. Pra que? Por quê?", questionou.

Lazer garantido

A Secretaria de Cultura e Esporte anunciou que durante o recesso e férias as principais áreas de lazer de Jaraguá do Sul, como o Arthur Müller, Centro de Artes Mestre Manequinha e a pista de atletismo, permanecerão abertas.

Natália volta

Ao que tudo indica, Natália Petry voltará a comandar a Secretaria de Cultura e Esportes a partir de janeiro. A parlamentar licenciada entrega no fim do mês a presidência da Fesporte.

Preocupação no Boa Vista

Mariana Pires, presidente da Associação de Moradores do Boa Vista, participou da sessão da Câmara de Vereadores, ontem. Falou sobre a preocupação das mulheres do bairro com o anúncio de fechamento do centro de educação infantil Rodolfo Hufenuessler, o único da localidade.

Atualmente, 21 crianças são atendidas no local. As mães reclamam da dificuldade de levar os filhos até outras unidades. Sensibilizados, os parlamentares aprovaram moção que será encaminhada à Prefeitura solicitando que a creche permaneça aberta e que se avalie a possibilidade de ampliação.

Mudanças no ar

Prestes a ser confirmado como presidente da Câmara de Vereadores, Marcelindo Gruner (PTB) já planeja mudanças nos bastidores. Uma das propostas deve ser o fortalecimento do Legislativo. Impopular, mas necessária, a reforma da sede, também deve entrar na pauta.

Informação que ajuda

Projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa prevê a obrigatoriedade de registro, por parte dos hospitais públicos e privados de Santa Catarina, dos recém-nascidos com síndrome de Down, com imediato envio das informações às instituições, entidades, federações e associações especializadas que desenvolvem atividades voltadas às pessoas com deficiência.

O objetivo é fazer com que os pais tenham assistência sobre a síndrome logo nos primeiros dias de vida da criança. A autoria é do deputado José Milton Scheffer (PP).

Ação do PT

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concluiu ontem o julgamento da ação do PT contra o presidente eleito, Jair Bolsonaro, envolvendo a rede de lojas Havan.

Por unanimidade, os ministros negaram os pedidos do partido derrotado nas eleições presidenciais, que buscavam a inelegibilidade e a cassação do presidente eleito.

Na ação, o partido do candidato derrotado Fernando Haddad alegava que o empresário Luciano Hang, proprietário da rede Havan, constrangeu funcionários para votarem em Bolsonaro, sob ameaças de fechamento de lojas e demissões.

Essa é a segunda ação de investigação judicial contra Bolsonaro julgada, e negada, pelo TSE.

Moção pelos remédios

A Câmara de Vereadores aprovou moção ao Executivo cobrando uma posição mais enérgica da Prefeitura para evitar a falta de medicamentos básicos nas unidades de saúde.

Os parlamentares sugerem que o Município avalie medidas jurídicas contra laboratórios que se candidatam, vencem concorrência pública e não fornecem os remédios dentro do prazo necessário.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?