A declaração de Antídio Lunelli de que gostaria de buscar a reeleição em 2020 tendo como vice o empresário Alcides Pavanello não só reforça as informações publicadas pela coluna sobre a aproximação entre MDB e PSD como mostra que o flerte é sério.

À coluna, Pavanello disse que foi pego de surpresa, se sentiu lisonjeado, mas acredita que, em um ano e meio, na política, muita coisa pode mudar.

Entretanto, o primeiro passo para a paquera virar namoro sério está prestes a acontecer de fato. Pavanello foi convidado oficialmente para fazer parte do primeiro escalão do governo.

“Fiquei muito feliz. O prefeito faz um ótimo trabalho. Tudo que vem sendo feito desde janeiro de 2017 vai aparecer para comunidade agora em 2019, será um grande ano. Independente de qualquer coisa, já declarei meu apoio ao Antídio na próxima eleição, meu partido estando com ele ou não. Como tenho um negócio, uma empresa, a decisão não é só minha. Mas também não posso deixar a administração esperando uma resposta”, diz.

Questionado sobre qual secretaria deve assumir, Pavanello preferiu não responder por questões éticas.

Alcides Pavanello iniciou na vida política em 1996, na época foi eleito vereador. Candidatou-se a convite do empresário Geraldo Werninghaus, eleito prefeito na mesma época. Foi cinco vezes presidente da Comissão Central Organizadora da Schützenfest, inclusive no atual governo.

O fato de ter apoiado Jair Pedri (PSD) na eleição municipal de 2016 não impediu que Antídio Lunelli visse nele um importante aliado.

“Está aí outra coisa que admiro no Antídio. Penso como ele, passou a eleição, acabou a disputa. Quem pensa na cidade tem que agir para o bem dela”.

Com a confirmação de Pavanello, essa será a terceira mudança no primeiro escalão de Lunelli este ano e outras não estão descartadas.

“A Schützen precisa ser reavaliada”

A declaração acima vem de quem já por cinco vezes presidiu a organização da Festa dos Atiradores. Alcides Pavanello diz que é inegável o sucesso das últimas edições do evento, mas defende que é preciso pensar bem nos próximos passos.

“A Schützen precisa ser reavaliada. É muito bonito ver mães com carrinhos circulando pela festa. Essa essência familiar não pode ser perdida. Não queremos virar uma Oktoberfest”, adianta.

Segundo ele, reuniões entre os organizadores já estão sendo realizadas. O empresário também diz que a participação voluntária de servidores tem sido essencial para o resultado alcançado.

Pela Regional de Saúde

Os 16 servidores lotados na Gerência Regional de Saúde do Estado em Jaraguá do Sul assinam uma carta endereçada ao governador Carlos Moisés (PSL) pedindo a manutenção da estrutura no município.

No documento, eles reforçam as atividades realizadas pelo setor, como de vigilância sanitária, epidemiológica, e farmacêutica e alertam que seria um risco deixar os municípios do Vale do Itapocu dependentes da estrutura de Joinville.

Resultado político

Ademar Possamai discorda da afirmação da coluna de que as mudanças promovidas pelo prefeito Antídio Lunelli (MDB) visam melhores resultados e diz que sua exoneração teve caráter político apenas. Possamai cita alguns resultados da sua gestão no Issem.

Entre eles, que a rentabilidade dos investimentos do Instituto foi superior a meta em 64% em 2017 e 20% em 2018. As alterações no custeio do sistema saúde vão gerar economia anual de mais de R$ 2,3 milhões.

Além disso, acrescenta, a alteração da segregação de massa gerou economia para a administração de R$ 9,6 milhões no ano passado e reduz a necessidade de repasse em 2019 de R$ 13,8 milhões.

Gruner quer fortalecer PTB

Presidente da Câmara de Vereadores e também do PTB, Marcelindo Gruner tem a meta de fortalecer a sigla para o pleito municipal do próximo ano.

Em 2019, não haverá possibilidade de coligação na proporcional, ou seja, cada partido terá que lançar uma nominata completa e competitiva para sobreviver.

Time Novo

O ex-secretário de Educação de Jaraguá do Sul, Elson Cardozo assinou filiação no Novo. A sigla se organiza para estrear em uma eleição municipal em 2020. Além de Cardozo, outras cinco lideranças de fora da política passaram a reforçar o time.

Erdmann acumulará pastas

Secretário da Fazenda Marcio Erdmann acumulará a presidência do Issem pelo menos temporariamente. Vale lembrar que é vedado por lei o acúmulo de salário. Ele ocupará dois cargos, mas receberá por um.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?