Foto Eduardo Montecino/OCP News
Foto Eduardo Montecino/OCP News

Além de elaborar um manifesto defendendo prioridade na duplicação do trecho urbano da BR-280, nos 8,5 quilômetros entre Guaramirim e Jaraguá do Sul, a Associação Empresarial decidiu criar um grupo de trabalho para buscar junto ao governo do estado a retomada dos serviços, iniciados pela empresa vencedora da licitação no final de 2017, e também a aceleração da obra no trecho federal.

A sugestão que será dada ao governador Carlos Moisés (PSL) é que a classe empresarial acompanhe a gestão da duplicação e a aplicação de recursos na rodovia.

 

 Ouça os comentários de Patricia Moraes no podcast OCP

Assine e receba novos conteúdos todos os dias

Apple Podcasts | Spotify |

Soundcloud

 

A obra é considerada vital para o desenvolvimento da microrregião e foi prometida e anunciada ainda no primeiro mandato do governo de Raimundo Colombo.

"Lamentavelmente, o atual governo não tem esta obra em seu radar de prioridades, o que nos preocupa porque ela já iniciada e acabou sendo interrompida no final da administração anterior, mas com pagamentos efetuados que geram um custo na medida em que pode ser totalmente perdido se os trabalhos não forem retomados", assinala Anselmo Ramos, presidente da Acijs.

O empresário lembra que a região vem perdendo investimentos, seja de empreendimentos novos que optam por se instalarem em outros municípios, até mesmo fora de Santa Catarina, ou porque empresas locais suspendem projetos de ampliação de suas plantas.

"Sem estas obras, a região não terá condições de se desenvolver. Isto se agrava porque não temos outras condições de circulação da matéria prima ou de escoamento da produção, já que esta é a principal ligação com outros centros e, com os gargalos de infraestrutura, a região poderá ficar com sua economia estagnada", reafirma.

Farão parte do grupo de trabalho, além de representantes da Acijs, das associações empresariais de outros municípios, das Prefeituras, Câmara de Vereadores, Ordem dos Advogados do Brasil e outros setores organizados.

Uma das possibilidades é de que parte dos recursos oriundos da arrecadação de ICMS dos municípios seja direcionada para a retomada da implantação do viaduto e também para as obras complementares no trecho.

Levantamento junto à Secretaria de Estado da Fazenda mostra que em 2018 a microrregião do Vale do Itapocu gerou mais de R$ 9,1 bilhões em valor adicionado do ICMS, o que na opinião da classe empresarial poderia viabilizar integralmente a obra.

Há iniciativas semelhantes em municípios como Brusque, onde recursos do ICMS foram destinados a obras de infraestrutura.

Anselmo diz que o grupo de trabalho atuará no sentido de equacionar questões legais e na sensibilização do governo do estado.

Frente regional

Foi lançada ontem a Frente Parlamentar em Defesa da região Norte e Nordeste de Santa Catarina na Assembleia Legislativa. De acordo com o deputado Vicente Caropreso (PSDB), foi feita uma metodologia de trabalho para dar celeridade as demandas das macrorregiões (Amvali, Amunesc e Amplanorte).

“Nós faremos visitas aos municípios para saber quais são as ações mais urgentes, e fazer com que os pleitos cheguem de forma mais enfática em quem pode soluciona-los. Pretendemos também somar forças com a bancada federal catarinense para ter um poder maior de resolutividade”, diz.

Além de Caropreso, também participam da frente parlamentar os deputados Kennedy Nunes (PSD), Fernando Krelling (MDB) e Sargento Lima (PSL).

Buscando recursos

O prefeito de Corupá, João Carlos Gottardi (PSD), cumpre agenda em Brasília acompanhado dos vereadores Felipe Rodrigues (PSDB) e Alaor Duarte (PSDB), do assessor parlamentar Loreano da Costa (PSDB), e do presidente do Corpo de Bombeiros do município, Cristian Herrmann.

A comitiva participa de reuniões na secretaria nacional de Defesa Civil, Ministério da Agricultura, Casa Civil, Ministério da Saúde, Câmara dos deputados e Senado.

Combate a crimes ambientais

A Polícia Militar será parceira da Prefeitura de Jaraguá do Sul na fiscalização contra crimes ambientais e no combate à clandestinidade na coleta de recicláveis.

Em reunião, ontem, os detalhes da operação foram definidos. Participaram das conversas o presidente da Fujama Normando Zitta Júnior, o gerente de Resíduos Sólidos Giovani Mello, a engenheira sanitarista Morgana Decker, ambos do Samae, e o comandante da PM, Márcio Leandro Reisdorfer.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?