Foto Divulgação
Foto Divulgação

A pandemia afetou não apenas a saúde das pessoas. Ela mudou maneiras de se relacionar, trabalhar e consumir. Mudou, também, a maneira de criar, administrar e planejar uma empresa.

O primeiro semestre de 2020 foi um "carrossel de emoções" e todos estão, ainda, digerindo acontecimentos, principalmente os empreendedores.

Quando eles abrem a "caixa de ferramentas" com os principais indicadores econômicos, fica claro que estiveram, novamente, muito perto ou, mesmo, lá no fundo do poço.

Cabe a eles, em momentos difíceis, gerir dois efeitos psicológicos: TINA (There Is No Alternative, ‘não há alternativa’) ou FOMO (Fear of Missing Out, 'medo de ficar de fora'), pois tal situação é inevitável e frequente a quem lida com o risco. Afinal, o mundo de hoje é explicado pela abreviatura VICA (1).

Enfim, apesar de efeitos de "terra arrasada" (‘escombros’), os empreendedores não podem, em crises, se submeter às armadilhas advindas do pânico, aquele medo descontrolado frente a desafios, estes, logo mais adiante, convertidos em "novos normais". E nem serem acometidos do "efeito avestruz" (2).

Os empreendedores devem fazer uma revisão menos negativa dos fatos, mantendo o otimismo, quem sabe, inspirando-se no conhecido “a vida é feita de ciclos: tudo passa, tudo que é ruim ou bom não dura para sempre” e ficando vigilantes a novas oportunidades que "apareçam à mesa".

Ou seja, nunca acreditar em ‘tempo perdido’ e, sim, aproveitar estes momentos para refletir sobre seus acertos e erros no período anterior, revendo estratégias e planos, para se adaptar e superar novos desafios do mercado.

Empreendedores, mais que resilientes, devem ser "anti-frágeis", isto é, dotados de um “modelo de pensamento que reverte crises a seu favor” (3), mediante uma "Gestão Imprevisível de Negócios" (4), com planos e estratégias para que suas empresas continuem crescendo e evoluindo, mesmo diante de cenários incertos.

Nos dias atuais, a Síndrome do Pânico (5) tem trazido sérias complicações para alguns empreendedores. Esta moléstia entra em ignição e faz estragos, quando o medo e a ansiedade, reações normais de defesa do organismo, são exagerados, algo sentido até pelo Apóstolo Pedro, quando caminhava sobre o mar e, de repente, afundou (6).

Por falar nisso e, como ciência e fé têm caminhado cada vez mais juntas, recorrer não só à medicina/psicologia, mas, também, à transcendência, é, quase sempre, um "santo remédio" para o enfrentamento de adversidades, principalmente quando o empreendedor é "fóbico", alguém que quer fazer demais e tudo sozinho (até sem ‘ninguém’ do firmamento).

Aos que desejam empreender e se perguntam qual o momento certo para começar, a verdade é que o sucesso, ao empreendedor, pouco tem a ver com "momento certo". Ele está mais relacionado à capacidade de vencer medos e obstáculos, superar crises com rapidez e aprender continuamente novas técnicas e ferramentas de gestão sustentável de negócios.

E, como compensação, vale lembrar que crises são momentos ímpares para empreendedores construírem seus legados, ao protagonizarem soluções diferenciadas, pelas quais serão (mais) lembrados no futuro.

(1): VUCA/VICA = Volatility (Volatilidade)+Uncertainly (Incerteza)+Complexity (Complexidade)+Ambiguity (Ambiguidade)

(2): Efeito Avestruz = tendência a ignorar informações ruins, para evitar desconforto psicológico

(3): TALEB, Nassim Nicholas. Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos. Best Business, 2012

(4):BORNELI, Júnior. https://www.startse.com/noticia/startups/surge-um-novo-modelo-de-gestao-a-gestao-do-imprevisivel. 2020

(5): ‘Pânico’, proveniente do Deus Pã, da mitologia grega, que possuía chifres e pés de bode, provocavando horror em pastores e camponeses

(6) DEUS. Bíblia Sagrada, Mateus 14:30, 31

Disponível para compra na Grafipel, em Jaraguá do Sul. Também com dedicatória personalizada, diretamente com o autor.

Emílio da Silva Neto

Dr. Eng. Industrial, Consultor/Conselheiro/Palestrante/Professor (*) Sócio da ‘3S Consultoria Empresarial Familiar’ (especializada em Processo Decisório Colegiado, Governança, Sucessão, Compartilhamento do Conhecimento e Constituição de Conselhos Consultivos e de Família). Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento

Curriculum Vitae: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4496236H3

Tese de Doutorado: http://btd.egc.ufsc.br/wp-content/uploads/2016/08/Em%C3%ADlio-da-Silva.pdf
Contatos: emiliodsneto@gmail.com | (47) 9 9977-9595 | www.cons