Passada a fase crítica da pandemia que assolou o mundo, vivemos um momento cuja sensação é de recomeço. Parece iniciar-se um ensaio de pós-pandemia caracterizado por dúvidas sobre os efeitos dessa tragédia social.

Se o desafio maior, na ocasião da fase crítica, era a sobrevivência, agora, com a intensificação do processo de imunização, o desafio passa a ser o de saber lidar com as dúvidas e incertezas da nova realidade. Entretanto, o momento se faz oportuno para muitas reflexões, já que todo caos gera transformação, renovação e aprendizado.

Ainda é cedo para dimensionar todos os ganhos e perdas gerados por essa pandemia, mas um resultado parece evidente: há uma maior consciência sobre o poder da humanidade em todos os sentidos. Todo ser humano se viu submetido a testes de cidadania, ética, responsabilidade e colaboração. Obviamente, nem todos foram aprovados, mas, de forma geral, houve ganho em unidade social e significado. O foco agora deve ser na erradicação definitiva desse vírus.

Sinais positivos começam a surgir. Um recente levantamento de dados da Secretaria de Estado da Saúde observou que 70,13% dos municípios de Santa Catarina não registraram mortes por Coronavírus no mês de outubro. E o destaque de nossa região é Corupá.

Significa que a cada dia se observa um passo avante, de forma cautelosa e coordenada. É com este foco e postura, que o Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde do Covid-19, instituído pela Prefeitura de Jaraguá do Sul, ressalta a importância de se completar o esquema de vacina contra o coronavírus.

Muitos não tomaram a segunda dose, além dos que não tomaram nenhuma. A guerra ainda não acabou. Só a vacina protege a vida individual e coletiva. Portanto, pense coletivamente. Vacine-se