A escolha correta da iluminação, seja residencial, comercial ou industrial é um fator essencial para quem deseja um ambiente agradável e aconchegante. A iluminação adequada reflete, além do aspecto decorativo, a harmonia do espaço em função da luminosidade natural e amplitude dos espaços para que promovam uma sensação de conforto visual.

O projeto de iluminação deve ser pensando já no início do projeto arquitetônico, pois reflete diretamente na disposição dos ambientes, incidência de luz natural, na forma como vemos de ampliar ou reduzir a sensação de tamanho de um cômodo, na valorização dos produtos em um ambiente comercial e na sensação de conforto ou até mesmo em direcionar circulações.

A tecnologia da iluminação mudou drasticamente na última década, com a ampla introdução de lâmpadas de baixo consumo energético, contudo nem sempre fica clara a utilização de cada tipo e qual a função especifica de cada uma.

Foto Divulgação/Eixo 11

Veja alguns dos principais tipos de lâmpadas utilizadas e suas características:

Lâmpadas incandescentes

As mais antigas, porém utilizadas atualmente são as incandescentes. Elas apresentam um baixo custo unitário, mas um alto consumo de energia e vida útil não muito longa. As lâmpadas incandescentes funcionam com um filamento, normalmente de tungstênio, em seu interior.

Vale ressaltar que a venda deste tipo de lâmpada está proibida no Brasil desde 2016. Sendo assim, caso você ainda faça uso desta lâmpada e ela queime, terá de optar por outros modelos. Mesmo assim ainda se observa a utilização deste tipo de lâmpada em residências e espaços comerciais para iluminação geral (em pendentes, plafons, lustres). Também estão presentes na iluminação interna de fogões e geladeiras.

Lâmpadas halógenas

Também consideradas incandescentes, pois têm elementos halógenos, como o iodo ou bromo, dentro do bulbo. Possuem maior eficiência luminosa do que as incandescentes comuns e, por seu tamanho reduzido, são muito utilizadas em luminárias. Apesar de consumirem mais energia do que as fluorescentes e as de LED, são muito utilizadas nos projetos de iluminação por permitirem a criação de efeitos de destaque e de valorização de objetos, texturas, materiais.

As dicroicas são bastante utilizadas, com destaque para paredes, sofás, home-theater, onde os fachos de luz direcionados dão um charme e elegância ao ambiente. As lâmpadas halógenas atuam como uma espécie de substitutas das incandescentes desde a proibição da venda no Brasil. Geralmente são amareladas, emitem calor e possuem durabilidade maior que as demais incandescentes.

Lâmpadas fluorescentes

As mais utilizadas atualmente e são consideradas uma evolução em relação às incandescentes, por consumirem menos eletricidade para iluminar o mesmo espaço. Muito utilizada quando há necessidade de uma boa iluminação central por todo o cômodo. Porém, é importante escolher luminárias proporcionais à dimensão do ambiente para alcançar níveis uniformes de claridade por todo o espaço. Por isso, em lugares maiores, o tamanho da luminária e sua capacidade de iluminação também devem aumentar.

O formato mais utilizado é o tubular, muito encontrado em cozinhas e escritórios, mas também podem possuir diversos formatos. São indicadas para ambientes de alta circulação, como espaços comerciais, escritórios e também em casa, na cozinha e home office. Existem lâmpadas fluorescentes com diferentes cores de luz. As amarelas são recomendadas para quartos e salas, as brancas para os ambientes que você quer deixar bem claro e as azuladas ficam bem em banheiros e cozinhas, pois dão um ar de limpeza.

Lâmpadas LED

LED, sigla para Light Emitting Diode, significa diodo emissor de luz. Essas lâmpadas são consideradas as mais modernas e chamam a atenção pela economia e eficiência que proporcionam, e por serem os tipos com maior capacidade de iluminação do mercado. É considerado um produto ecologicamente correto por consumir pouca energia e possuir longa durabilidade.

São utilizadas na iluminação geral e principalmente para destaques em ambientes residenciais e comerciais, como por exemplo em placas de embutir que trazem efeito de iluminação uniforme, e são versáteis, podendo usar em todos os ambientes. Quando se deseja destacar nichos ou prateleiras, as fitas de LED são ideais, pois distribuem luz de forma uniforme e criam uma atmosfera cênica.

Também podem ser aplicadas em spots sobre bancadas, arandelas, criando efeitos na parede, e na iluminação de fachadas e áreas de lazer. Neste caso se destaca a luz indireta, proporcionando uma iluminação pontual, para criar ambientes mais confortáveis, intimistas e aconchegantes.

 

Consulte a Eixo 11 Arquitetura para desenvolver o seu projeto luminotécnico, seja para uma reforma ou nova construção. Poderemos lhe auxiliar nas escolhas adequadas, considerando o uso e as atividades de cada espaço, aliando o efeito e a intensidade de iluminação necessários para criar um ambiente de conforto e vitalidade.

Artigo escrito pelas arquitetas e urbanistas Jeanita Bonato (CAU/SC A135996-7) e Mariana Silva (CAU/SC A150451-7).

-

Onde encontrar a Eixo 11: rua Pres. Juscelino, 45, Ed. Ana Isabel, sala 02, Centro de Jaraguá do Sul • (47) 3370-0070 • 9 9942-6030 | FacebookInstagram