Foto Arquivo Pexels
Foto Arquivo Pexels

Muitas pessoas, mesmo as mais escolarizadas, têm dificuldade de produzir textos técnicos. Reflitamos sobre algumas causas de ordem lógica dessa dificuldade.

A primeira jaz nas diferenças existentes entre a língua falada, principalmente em situações informais – dinâmica, natural, viva, descontraída, reforçada por fatores extralinguísticos que a contextualizam e a adaptam às circunstâncias demandadas no momento de estabelecer a comunicação – e a língua escrita – técnica, bastante artificial e relativamente estanque, respaldada em normas que não contemplam a modalidade falada em situações de comunicação descontraída, e, em inúmeras passagens, não contemplam a Língua Portuguesa falada no Brasil.

Um segundo motivo que inibe a produção de textos técnicos, com certeza, é o conjunto de formalismos linguísticos e extralinguísticos que se convencionou estabelecer tanto para o texto acadêmico, englobando sob esta denominação todo aquele que busca veicular conhecimentos que suscitem ou não discussões, quanto para o texto administrativo, composto das correspondências, dos documentos e dos específicos da legislação, e, também, os de caráter profissional, como o discurso jurídico, médico e outros.

O desconhecimento acerca do que escrever igualmente contribui para a manutenção da situação, visto que para escrever é necessário ter o que dizer por escrito; é preciso conhecer o tema de que se vai discutir, assim sendo, é fundamental estar informado. Nem se discute que é indispensável, também, ter satisfatório conhecimento técnico, no entanto o domínio da técnica da produção textual por parte de quem se propõe a escrever, sem o do conteúdo sobre o qual vai escrever, de nada adiantará.

Adiciona-se, às causas assinaladas, o possível bloqueio psicológico que ocorre, em muitos casos, à tarefa de produzir textos, gerado pela situação de julgamento a que pode estar submetido o autor do texto, suscitando ansiedade e expectativa relativamente à aceitabilidade do leitor.

 

 

Portanto, independentemente do que você faz, nos dias de hoje, a sua relação com a prática de escrita ampliar-se-á proporcionalmente a sua ascensão profissional. Assim, aprimore sua comunicação escrita, e faça isso agora, procurando trabalhar mais tal habilidade (não importa a sua área de atuação). O caminho para um domínio de escrita é possível: a) leia; b) escreva; c) (re)leia e revise; e d) receba feedback. Estes passos lhe auxiliarão nessa caminhada, e quanto maior a frequência dessa sua rotina, mais célere será seu progresso.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul