Os autores do latrocínio - roubo seguido de morte - cometido contra o taxista Elias Miguel Simas, de 54 anos, em Guaramirim, continuam presos.

Os dois adolescentes, uma garota de 16 anos e um jovem de 17, devem ficar internados no Centro de Assistência Socioeducativo Provisório (Casep) até os dias 22 e 23 de abril, respectivamente.

 

 

O terceiro envolvido no caso, Bryan Ferdinando Gangolf, de 18 anos, teve a prisão provisória decretada pela Justiça. Ele está preso no Presídio Regional de Jaraguá do Sul e, caso a Justiça não decrete a prisão preventiva, deve ser solto no dia 8 de abril.

O delegado Caleu Mello, que preside o inquérito, afirma que a investigação está caminhando para o fim. Ele acredita que é difícil a linha que está sendo seguida mudar.

Segundo Mello, os três devem responder pelo crime de latrocínio. Bryan Gangolf também deve ser processado por corrupção de menores.

Taxista encontrado morto em arrozal foi morto com 42 facadas | Foto Fábio Junkes/OCP News

A morte brutal do taxista, que levou 42 facadas e teve o corpo abandonado em um arrozal no interior do município, causou revolta entre os profissionais da categoria.

A profissão, reconhecidamente perigosa pelos próprios motoristas, é citada frequentemente na crônica policial da região.

Latrocidas condenados

No início de janeiro, os irmãos Patrick e Jonatan Machado Fuckner, de 19 e 21 anos, foram condenados pela Justiça a 22 anos, cinco meses e 15 dias em regime fechado.

Eles são os responsáveis pela morte do taxista jaraguaense Allan Tietz, 24 anos, em 22 de novembro de 2017.

O jovem taxista saiu de casa por volta das 15h para fazer uma corrida até Curitiba, mas nunca voltou. O corpo foi achado após seis dias, em Garuva.

Irmãos foram condenados a mais de 22 anos de prisão por morte de taxista | Foto Cláudio Costa/OCP News

Nelson Tietz, pai de Allan, afirma que a atitude das pessoas que tiraram a vida do seu filho e de Elias Simas é covarde.

Para ele, a quantia de dinheiro levada nos crimes é pequena e torna ainda mais banal a morte dos taxistas.

Nelson, que também atua na profissão, destaca o fato dos envolvidos nos crimes serem jovens e muitas vezes influenciados por más companhias.

 

 

“Quando comecei as buscas pelo Elias junto a outros taxistas, lembrei do Allan e chorei muito. É muito triste porque essa situação trouxe tudo o que aconteceu com o meu filho de volta. É uma pena perder mais um colega de trabalho dessa maneira”, conta Nelson.

Quatro mortes em acidente

O assalto a um taxista em Guaramirim terminou em grave acidente. Cinco pessoas morreram em decorrência da batida entre dois carros na BR-280, em Araquari, na tarde de 12 de julho de 2015.

Após o roubo, o táxi passou a ser perseguido pela Polícia Militar e bateu contra um Honda Civic, com placa de Joinville.

Duas pessoas morreram no local do acidente e outras três no hospital | Foto Arquivo OCP

Cinco assaltantes abordaram o veículo e levaram o taxista Everaldo Sikorski, 30 anos. Os ocupantes do Civic sofreram ferimentos leves.

Com o impacto da batida, o Volkswagen Voyage capotou diversas vezes. Uma mulher foi arremessada para fora do táxi. Ela e outro ocupante do carro morreram no local.

Outros dois assaltantes, um homem e uma mulher grávida, morreram no hospital. Um quinto criminoso, com mandado de prisão em aberto na época do crime, teve fratura exposta em uma das pernas e foi preso após fugir do local do acidente.

Gilmar Kretzschmer, de 32 anos, foi condenado pelo crime a 23 anos e oito meses de prisão em regime fechado. O taxista foi levado para o hospital e fi cou internado por seis meses, até falecer.

Agredido a marteladas

O taxista Hermínio Mendes, 64 anos, foi agredido a marteladas durante assalto na noite de 17 de novembro de 2013, em Jaraguá do Sul.

Por volta das 23h30, a PM foi chamada para atender a ocorrência no bairro Rau. Dois jovens, de 18 e 17 anos, foram detidos com três celulares, R$ 100 em dinheiro, a faca e o martelo sujos de sangue.

Taxista ficou internado na UTI por 15 dias. No detalhe, o assaltante de 18 anos | Foto Arquivo OCP

Ambos embarcaram no táxi no bairro Nova Brasília e foram em direção ao Rau. Eles discutiram com o taxista e desferiram golpes de martelo e faca contra o motorista.

Os assaltantes colocaram o taxista no banco do passageiro e o jovem de 18 anos assumiu a direção. O carro foi abandonado na rua Prefeito José Bauer. O maior de idade foi autuado por tentativa de latrocínio, roubo seguido de morte, e corrupção de menor.

Ele foi encaminhado ao presídio. O menor foi internado provisoriamente. A reportagem do OCP não obteve informações sobre a condenação dos envolvidos. O taxista ficou internado por 15 dias na UTI e saiu do hospital após a recuperação.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?