O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a quebra do sigilo bancário e fiscal do empresário catarinense Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, por suspeita de financiar a produção de fake news e ataques contra instituições democráticas.

As informações solicitadas se referem ao período entre julho de 2018 e abril de 2020. Além de Hang, tiveram o sigilo quebrado o empresário Edgard Gomes Corona, fundador e CEO da rede de academias Smart Fit, o humorista Reynaldo Bianchi Junior e o blogueiro Winston Rodrigues Lima.

A determinação é um desdobramento do inquérito aberto pelo STF para investigar uma suposta rede criada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, com o objetivo de disseminar notícias falsas e ameaças contra ministros da Corte.

Nesta quarta-feira (27), a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão, tendo Luciano Hang como um dos alvos. Na ocasião, o empresário teve o celular e um computador apreendidos pelos agentes.

Em manifestação posterior à operação, o dono da rede de lojas Havan se disse tranquilo e negou participar de um esquema montado para difamar e ameaçar os ministros do STF.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul