Após ficar a frente do 14º BPM (Batalhão de Polícia Militar) por dois anos e quatro meses, o tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, iniciou nesta terça-feira (16) mais um desafio. Ele assumiu o comando da 12ª RPM (Região de Polícia Militar).

Ao substituir o coronel Amarildo de Assis Alves, que vai para reserva remunerada, ele passa a ser responsável pelo bagalhão que já comandava, na região de Jaraguá do Sul, e também pelo 23º BPM, com sede em São Bento do Sul. O novo comandante destaca que haverá continuidade no trabalho feito por Amarildo.

Em entrevista ao OCP, o oficial ressalta que a sua gestão será focada na área de assistência social dos policiais militares que atuam nos oito municípios que estão sob a guarda da regional. Reisdorfer destaca que projetos serão desenvolvidos para buscar o bem-estar dos PMs e de suas famílias.

Para isso, vai contar com a chefe de Comunicação Social da 12ª RPM, a tenente-coronel Arlene Souza da Silva Villela. Ela assumiu interinamente pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e recentemente retornou para a regional.

“A tenente-coronel Arlene tem muitas ideias e vai ajudar nesses projetos. Nós queremos valorizar e dar um olhar diferenciado para o nosso homem. Não são apenas os equipamentos que fazem o policial militar restar um bom serviço, mas também o ser humano que estar por baixo daquela farda,” pondera.

Reisdorfer lembra que o elemento humano é o mais importante no trabalho de garantir a segurança das pessoas. Apesar de contar com tecnologias como o PMSC Mobile, que facilita de sobremaneira o trabalho dos PMs, são os homens que vão garantir a eficácia das ações de policiamento.

“A gente já tem buscado isso, principalmente nessa época de pandemia. O policial não é um ser isento à pandemia, ele também está vivendo isso tanto no trabalho quanto na família. Tivemos policiais e familiares internados. Recentemente, tivermos um policial militar internado em estado grave na UTI”, explica.

Grandes operações

Uma das marcas de Reisdorfer no comando do 14º BPM foi a implementação das grandes operações. Agora, o comandante quer trazer essa importante estratégia, responsável pela queda de índices em Jaraguá do Sul e região, para toda a área da 12ª RPM.

“Agora, nós queremos fazer isso de forma regionalizada, envolvendo os dois batalhões. Além disso, temos projetos de instrução envolvendo as duas unidades. Então, vamos implantar muito do que fazíamos de bom no 14º Batalhão”, adianta.

Aposta

Ao deixar o comando do 14º BPM para o tenente-coronel Valdeci Oliveira da Silva, Reisdorfer lembrou do tempo em que foi comandante do helicóptero Águia 1, da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar. Ele afirmou que tirar o macacão de piloto para vestir a farda caqui foi uma aposta.

No discurso de despedida da unidade, lido durante a cerimônia realizada nesta segunda-feira (15), o tenente-coronel operacional se dirigiu para a tropa. Na fala, citou que “o quadrado trabalha para quem está na rua”, ao se referir ao batalhão.

“Foi uma honra poder ombrear com todos os serviço, seja auxiliando numa abordagem, seja patrulhando a bordo da 3014, seja num P-115 portando meu fuzil IA2, momentos que ficarão de forma indelével me minha memória. Apostei toda a minha carreira no 14 e os senhores me ajudaram muito. Contem com o meu apoio incondicional na 12ª RPM”, enfatizou.