Nilvania mostra o estrago causado no piso do apartamento em que mora com os três fihos | Foto: Eduardo Montecino/OCP

Nilvania mostra o estrago causado no piso do apartamento em que mora com os três fihos | Foto: Eduardo Montecino/OCP

Atualização: Após uma vistoria de técnicos da Diretoria de Defesa Civil de Jaraguá do Sul, na manhã de terça-feira (12), o bloco 8 do Condomínio Residencial Ester Menel foi liberado, para que os moradores pudessem retornar aos seus apartamentos.

Os técnicos avaliaram o prédio e, durante a tarde, os Bombeiros Militares de Santa Catarina acionaram um perito para analisar as condições do imóvel.

O perito concordou que o prédio estaria em condições de continuar habitado, sugerindo que as famílias retornassem para seus apartamentos. Leia mais.

-

“Eu coloquei as crianças para dormir e fui verificar a minha secadora. Quando eu voltei para a sala, eu escutei um barulho estranho. Pensei que era a minha vizinha de cima, mas o barulho aumentou.

Nisso, eu senti uma vibração no pé, era o piso soltando. Eu gritei para as crianças correrem. Eu saí com eles e comecei a chamar os vizinhos. Eu não consegui pegar nada. Foi um momento desesperador.

Eu só conseguia pensar nos meus três filhos”, lembra a dona de casa Nilvane Correa, 32 anos, uma das cerca de 40 pessoas que moram no bloco 8 do Condomínio Residencial Ester Menel, localizado no bairro Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul.

Nilvane precisou retornar pela segunda vez para a casa da mãe após o Corpo de Bombeiros Militar anunciar a segunda interdição do imóvel na tarde desta terça-feira (12).

De acordo com a sargento Danieli Knapik, a inspeção mostrou que o prédio apresenta situações “complicadas” para a habitação.

“A gente verificou que um responsável técnico, no caso um engenheiro, precisa nos apresentar um laudo para garantir que a estrutura está ideal para ser habitada”, afirma, ao ressaltar que foram constatadas diversas patologias (rachaduras) no edifício.

A dona de casa Tatiana Fátima de Lima, 33 anos, não estava no prédio no momento dos eventos que culminaram na interdição do prédio no fim da noite desta segunda-feira (11). Do pátio, ela viu o desespero dos moradores do bloco 8 e correu para socorrer os cinco filhos no seu apartamento.

“Disseram para a gente que estavam evacuando o prédio por causa de fortes estalos e que o chão estava cedendo e abrindo o piso. Eu não ouvi os estalos, mas, pelo que eu vi, foi assustador. A sensação de insegurança é completa, mas foi um alívio os bombeiros militares interditarem. Agora, a gente vai ficar num lugar seguro sem correr risco”, destaca Tatiana, que vai ficar no salão de festas com a maioria dos moradores.

Tatiana estava no pátio e correu para resgatar os cinco filhos | Foto: Eduardo Montecino/OCP

Especialista fará vistoria

A Defesa Civil do Estado chamou um especialista em patologia de edificações. De acordo com o coordenador regional do órgão, Osvaldo Gonçalves, o técnico deve realizar a vistoria no bloco 8 do condomínio nesta quarta-feira (13).

“Ele vai fazer um estudo mais minucioso do que já foi feito anteriormente. A Defesa Civil do município fez um trabalho de evacuação por medida de segurança. A gente vai complementar com esse trabalho para ter uma definição. Há indícios de que houve um trabalho de toda a edificação. Em um dos lados, existe o rompimento do piso e, do outro lado, uma desproporção entre as portas, que já não estão mais fechando”, constata.

Gonçalves (centro) anunciou a vinda de um especialista para a verificação das patologias no edifício | Foto: Eduardo Montecino/OCP

Osvaldo destaca que houve uma evolução da situação da edificação e que o laudo feito pelo especialista será fundamental para novas decisões sobre o prédio.

O técnico vem de Joinville para realizar o trabalho de verificação do imóvel. O coordenador da Defesa Civil do Estado, que também é sargento do Corpo de Bombeiros Militar, ressalta que todo o trabalho feito anteriormente, principalmente de evacuação dos moradores, foi realizado de forma preventiva e para garantir a segurança dos moradores.

Interdição, desinterdição e nova interdição  

O tormento dos condôminos do bloco 8 do Condomínio Residencial Ester Menel começou no fim da tarde desta segunda-feira. Os moradores relataram que ouviram estalos fortes na estrutura do prédio por volta das 23h.

Além das rachaduras e do piso que ficou quebrado, houve relatos de um cheiro forte de gás no local. O Corpo de Bombeiros Voluntários e a Defesa Civil de Jaraguá do Sul foram chamados.

A evacuação do prédio foi feita e o prédio foi interditado. Moradores procuraram abrigo na casa de parentes e também no salão de festas do condomínio.

Na manhã desta terça-feira, técnicos da Defesa Civil e da empresa responsável pela obra,  Concreto Construtora de Obras, de Curitiba, realizaram inspeções em todos os 16 apartamentos do bloco de quatro pavimentos.

Após a vistoria feita durante o período da manhã, a Defesa Civil informou que um documento seria confeccionado pelo órgão e seria apresentado durante a tarde.

A desinterdição do prédio também foi anunciada, mas os moradores ficaram reticentes de retornar para as residências após verificarem as condições dos apartamentos, janelas e portas não fechavam, além de rachaduras evidentes nas paredes.

Bombeiros militares reuniram moradores para explicar a interdição | Foto; Eduardo Montecino/OCP

O Corpo de Bombeiros Militar foi até o local para fazer a interdição do prédio na tarde desta terça.

Ao se deparar com o documento da Defesa Civil de Jaraguá do Sul, os soldados da corporação decidiram realizar uma nova vistoria na edificação.

Após percorrer cada um dos apartamentos do bloco, os bombeiros militares reuniram os moradores, os administradores do condomínio e informaram a todos que o prédio seria interditado novamente por motivos de segurança.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?