Defesa Civil do Estado, de Jaraguá do Sul e Corpo de Bombeiros Militar participaram do trabalho de vistoria e liberação do prédio | Foto: Fábio Junkes/OCP

Defesa Civil do Estado, de Jaraguá do Sul e Corpo de Bombeiros Militar participaram do trabalho de vistoria e liberação do prédio | Foto: Fábio Junkes/OCP

O Corpo de Bombeiros de Santa Catarina encontrou um problema na distribuição de gás do bloco 8 do Condomínio Residencial Ester Menel, nesta terça-feira (12). Após a análise de um especialista em patologias em obras, a Defesa Civil do Estado e os bombeiros liberaram o prédio para o retorno dos moradores por volta das 19h30. O problema do vazamento está relacionado a uma peça que será trocada pela empresa responsável pelo fornecimento do gás.

Receba as notícias de segurança no Whatsapp! Basta clicar aqui!

“A gente identificou um vazamento e vai ser necessária a troca de uma válvula. Essas peças têm cerca de cinco anos de validade e uma delas apresentou esse problema. Os técnicos da Ultragaz vão realizar uma vistoria. Depois, eles vão trocar essa válvula vencida e vão realizar a liberação do gás”, explica o coordenador da Defesa Civil de Santa Catarina na região de Jaraguá do Sul, Osvaldo Gonçalves. Na noite de segunda-feira (11), quando houve o incidente que levou à interdição do prédio, moradores relataram um forte cheiro de gás.

SAIBA MAIS:

Famílias relatam momentos de pânico em prédio interditado em Jaraguá do Sul

O especialista em patologias em obras presta serviço para a Defesa Civil em toda Santa Catarina. Ele chegou por volta das 18h no condomínio e começou a realizar análises com equipamentos. Posteriormente, uma reunião entre os órgãos envolvidos na ocorrência foi realizada e cada um fez a sua exposição da situação. Por último, houve uma assembleia com os moradores. O especialista relatou que não há risco do prédio desabar e que os problemas foram causados pela variação de temperatura.

De acordo com Gonçalves, diversos fatores causaram dos problemas, um deles é a má execução na colocação dos pisos dos apartamentos. “Para a colocação das placas de porcelana, é preciso colocar argamassa em toda a peça. Eles colocavam só em alguns pontos. Em alguns locais do prédio, nós constatamos que não foi colocado a massa, só foi colocado o piso ali”, destaca.

A reportagem do jornal O Correio do Povo tentou entrar em contato com a empresa responsável pela obra, Concreto Construtora de Obras, mas não obteve sucesso.