Jaraguá do Sul registrou quatro homicídios nos seis primeiros meses de 2019. Com o empenho das polícias Civil e Militar, a taxa de resolutividade dos assassinatos chegou a 100% no primeiro semestre deste ano. Os responsáveis por três dos quatro crimes foram presos e um ainda está foragido.

O número de Jaraguá do Sul está na contramão do que ocorre em todo o Brasil. Dados do Ministério da Justiça apontam que 6% dos homicídios dolosos sejam esclarecidos no Brasil, ou seja, esse índice não chega nem a 10% total.

Dois homicídios registrados na cidade estão relacionados com o tráfico de drogas e os outros dois com desavenças ocorridas entre homens no meio doméstico.

O delegado regional Fabiano dos Santos Silveira explica que os homicídios têm um impacto grande na sensação de segurança das pessoas.

“Os crimes com violência são sempre os que mais chocam as pessoas. Um homicídio, um latrocínio, um crime no âmbito doméstico, contra a mulher ou os filhos, sempre causam uma repugnância e uma preocupação muito grande no tecido social”, destaca Silveira.

O delegado ressalta que o número de homicídios e outros crimes em Jaraguá do Sul é relativamente baixo e isso faz com que chegar a essa taxa de resolução fique mais fácil.

Delegado regional afirma que homicídios têm impacto na sensação de segurança das pessoas | Foto: Fábio Junkes/OCP News

Apesar disso, ele acredita que é importante ressaltar o grande esforço das duas polícias na obtenção desse resultado.

“Quando você vai para Joinville ou Florianópolis, há uma taxa muito grande de homicídios e acaba sendo difícil ter um alto índices de resolutividade. Mas eu atribuo esse índice a um esforço integrado entre todos os órgãos envolvidos na persecução criminal e também ao envolvimento da comunidade”, frisa.

Prisões em flagrante e prevenção

Em dois dos casos, a PM conseguiu realizar as prisões horas após a ocorrência dos homicídios. O comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Márcio Leandro Reisdorfer, lembra que isso aconteceu pelo bom trabalho das guarnições de Radiopatrulha.

“As guarnições que atenderam às ocorrências colheram indícios e depoimentos. Depois, realizaram a busca e acabaram logrando êxito na prisão de dois elementos suspeitos de envolvimento nas ações, uma delas no Centro e outra no bairro Boa Vista”, comenta.

Reisdorfer destaca que a Polícia Militar realiza diversas operações de combate ao tráfico de drogas com intuito de evitar que o número de homicídios aumente.

Tenente-coronel Reisdorfer lembra do bom trabalho feito pelas guarnições de Radiopatrulha no atendimento das ocorrências | Foto: Fábio Junkes/OCP News

Além disso, o tenente-coronel aponta que as resoluções dos assassinatos têm impacto direto na possibilidade da prática de novos crimes do tipo.

“O número de resolutividade em Jaraguá do Sul é muito contrário ao índice no âmbito nacional. A certeza da punição, a certeza da prisão, está contribuindo para o nosso trabalho. E isso acaba também sendo um fator de prevenção”, pondera.

Investigações apontaram as autorias

Polícias trabalham integradas para resolução dos casos na cidade | Foto Fábio Junkes/OCP News

Em dois homicídios, nos bairros Tifa Martins e Santo Antônio, a investigação ficou a cargo da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil em Jaraguá do Sul.

A divisão comandada pelo delegado Daniel Dias acabou descobrindo que os dois crimes têm relação com a venda de drogas.

“As grandes dificuldades nas investigações foram a coleta de informações e, principalmente, a confiabilidade delas. Nós trabalhamos com o relato das testemunhas, dos próprios suspeitos e outras informações que confirmem esses relatos. Com isso, chegamos a autoria ou mandante desses crimes”, observa.

Em um dos homicídios, a resolução se deu com a descoberta da ligação com uma dívida de drogas. No segundo assassinato, houve uma troca de informações primordial para a captura de dois envolvidos e, posteriormente, na rendição de um casal apontado como coautor do crime.

“A Polícia Civil sempre trabalha integrada com outros órgãos. O principal parceiro, que tem colaborado com muitas informações, é a Polícia Militar. Na nossa região, temos uma ótima integração. Trabalhamos somando informações e isso tem acelerado o processo de resolução desses crimes”, conta Dias.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger