Embora Santa Catarina seja um dos estados com as menores taxas de violência do país - Jaraguá do Sul e Brusque, por exemplo, estão entre as 10 cidades com mais de 100 mil habitantes menos violentas -, alguns crimes ocorridos em território catarinense chocam pela brutalidade.

 

 

O OCP News relembra cinco casos de assassinato que, pela crueldade ou por alguma circunstância inesperada, assombraram Santa Catarina em 2019:

1. Morta pelo namorado

No dia 2 de abril de 2019, vizinhos do advogado Paulo Carvalho de Souza, de 42 anos, estranharam o fato de ele chegar ao seu apartamento, em Balneário Camboriú, carregando vários sacos de gelo. Essa atitude - somada ao cheiro forte que saía do local - fez com que eles chamassem a polícia.

Além disso, os vizinhos sabiam que Paulo e a namorada, a também advogada Lucimara Stasiak, de 30 anos, haviam tido uma briga no dia 28 de março - e desde então ela não tinha sido vista.

Equipe do BOPE monitora a situação | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Policiais foram até o local e descobriram que Luciana estava morta. À PM, Paulo confessou que assassinou a namorada a facadas. O crime teria ocorrido após uma discussão entre o casal.

Foram mais de 24 horas de negociação até que o advogado aceitasse se entregar, em um caso que parou a cidade.

Ele estava em um aparente surto psicótico e ameaçava jogar-se da sacada de seu apartamento, no sétimo andar. Por fim, policiais realizaram sua prisão em flagrante por ocultação de cadáver.

2. Família assassinada

Uma dívida foi suficiente para que uma família - pai, mãe e o filho de 8 anos - fosse brutalmente assassinada com golpes de barra de ferro em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis. O crime ocorreu no dia 9 de agosto.

Conforme a investigação da Polícia Civil, o principal suspeito do triplo assassinato é um comerciante da cidade - Arno Cabral Filho, de 44 anos - que devia dinheiro às vítimas.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O homem teria ido à residência da família para tentar eliminar um documento assinado em que reconhecia ter contraído a dívida. No local, estavam a mulher, Loraci Matthes, de 50 anos, e o filho, Mateo Tuneu, de 8.

Loraci teria se negado a entregar o documento ao comerciante, e por essa razão foi morta a pancadas. Por ter presenciado o crime, o filho teve o mesmo fim trágico.

Carlos Alberto Tuneu, de 67 anos, estava a caminho de casa para almoçar com a família e, a cerca de um quilômetro de sua residência, foi surpreendido pelo suspeito e golpeado até a morte. O corpo dele foi o primeiro a ser encontrado.

3. Largada no hospital

Era a tarde de uma terça-feira quando Leonardo Natan Chaves Martins, de 21 anos, entrou correndo na recepção do Hospital Bethesda, em Joinvillle.

Ele carregava a companheira Gabriella Custódio Silva, de 20 anos, que estava inconsciente. Após deixá-la com a equipe de enfermagem, o jovem foi embora do local.

Gabriella havia sido baleada no peito enquanto estava na casa da sogra. Os médicos tentaram socorrê-la, mas a jovem não resistiu aos ferimentos.

O principal suspeito de ter efetuado o disparo era o próprio namorado, que a havia deixado no hospital.

Em depoimento à polícia, Leonardo afirmou que o tiro foi acidental. Ele estaria mostrando a arma - comprada recentemente pelo pai - à namorada quando ela disparou sozinha.

A arma não pôde ser alvo de perícia, pois teria sido jogada em um rio pelo suspeito durante fuga para São Francisco do Sul.

No dia 8 de agosto, Leonardo teve a prisão preventiva decretada. Ele está, atualmente, no Presídio Regional de Joinville.

4. Vítima do ciúmes

Uma mulher de 24 anos foi morta em Imbituba em um crime que teria sido encomendado pelo marido. O homem, com quem ela tinha dois filhos, encontrava-se preso por tráfico de drogas.

A polícia prendeu seis suspeitos de participarem do assassinato, que teve requintes de crueldade e tem sido considerado o feminicídio mais chocante da história da cidade.

De acordo com a investigação, Cristini de Jesus dos Passos foi encontrada com diversas perfurações de faca e sinais de martelada e pancadas na cabeça - além disso, o corpo dela foi incendiado.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O assassinato teria sido motivado por ciúmes, já que na última visita de Cristini ao marido ela pôs fim ao relacionamento.

No dia 5 de agosto, a mulher foi atraída por uma conhecida até a casa de seu cunhado, onde a emboscada aconteceu.

Um dia antes, o marido dela recebeu uma visita do irmão na penitenciária - a Polícia Civil trabalha com a hipótese de que o crime foi encomendado nesse encontro.

Todos os acusados respondem por homicídio quadruplamente qualificado. O cunhado de Cristini continua foragido.

5. Assassinatos e suicídio

Assassinatos de crianças já são por si mesmos chocantes. Tanto mais quando o autor do crime é quem deveria protegê-las.

A cidade de Ibirama viveu, no dia 13 de agosto, uma página triste de sua história. Vitor Paulo Deucher, de 39 anos, matou a esposa e a filha a facadas - na sequência, cometeu suicídio atirando-se do quinto andar do prédio em que as vítimas viviam.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Pelo que aponta a investigação, Vitor Paulo não estaria aceitando o fim do relacionamento de 12 anos com Simone Feuser, de 32 anos - o casal estaria separado havia cerca de duas semanas.

Ele foi até o apartamento em que mãe e filha - Amanda Deucher, de 11 anos - estavam vivendo de aluguel e, após uma briga, atacou as duas a facadas.

Mãe e filha foram golpeadas quando, provavelmente, tentavam deixar o apartamento. A criança foi encontrada com um travesseiro e um ursinho de pelúcia.

Após o crime, o homem se jogou do apartamento e chegou a ser socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger