Depois de um 2019 de muitas campanhas de prevenção, atendimentos, reformas e até prêmio nacional, a Secretaria de Saúde de Jaraguá do Sul, mais uma vez, tem uma grande missão pela frente. Para 2020, a pasta tem o orçamento total de R$ 186 milhões, um aumento de quase 7% em relação ao montante do ano passado. Este é o maior orçamento da Prefeitura de Jaraguá do Sul, depois vem o da Educação.

Como acontece em todas as secretarias, a maior parte deste valor tem destino certo. Apenas com folha de pagamento, a Saúde gasta cerca de R$ 70 milhões.

Para os hospitais São José e Jaraguá, são destinados entre R$ 7 e R$ 8 milhões para cada um ao longo do ano. A verba que sobra para os investimentos em novas obras e projetos fica em torno de R$ 5 milhões.

Conforme o secretário Alceu Moretti, uma das principais ações deste ano serão as obras de acessibilidade e melhorias em mais 11 unidades de saúde do município. Outras 11 já passaram pelas adaptações ou estão com os serviços sendo finalizados. O objetivo é que até dezembro, todas as unidades estejam com as estruturas melhoradas e questões de acessibilidade prontas.

 

 

Em andamento, a Secretaria tem a reforma do Pama 1 e da Policlínica Doutor João Biron (Centro Vida), além da reestruturação de um imóvel que irá receber o novo Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) da cidade, que até então funcionava junto à policlínica.

"O Centro Vida tem uma média de 550 atendimentos por dia, são cerca de 14 mil por ano. A estrutura não suportava mais tanta demanda no mesmo espaço", explica Moretti.

Foto Arquivo OCP News

O CEO também irá fortalecer o serviço odontológico do município, que atualmente conta com mais de 10 mil casos aguardando por atendimento.

Segundo Moretti, até fevereiro, o setor deve adquirir televisores que serão instalados nas unidades de saúde para divulgar as ações e campanhas da Secretaria.

Reforço para atender demanda em crescimento

Um levantamento também está sendo feito para encaminhar a construção de uma nova unidade de saúde na Barra do Rio Cerro. Ainda para suprir a demanda reprimida, a Secretaria irá investir R$ 4 milhões em mutirões de cirurgias e exames.

Mais de 11 mil procedimentos devem ser realizados. A especialidade com maior fila de espera, de acordo com Moretti, é a ortopedia.

O secretário destaca que no ano passado foram feitos 1,1 milhão de atendimentos pela rede municipal de saúde entre consultas, cirurgias, exames, vacinas, distribuição de medicamentos e outros procedimentos.

"A contratação de novos profissionais e o protocolo de enfermagem ajudaram a dar agilidade no atendimento, que é a nossa prioridade. Prezamos pelo bom acolhimento de todos que procuram os serviços municipais de saúde", enfatiza Moretti.

Ele avalia que de 2018 para 2019, houve um acréscimo de 5% na procura da população pela rede pública.

 

 

Um dos motivos para o aumento da demanda, segundo o secretário, seria o desemprego de muitos moradores. "Quem perdeu o emprego, consequentemente não tem mais o plano de saúde e acaba recorrendo ao serviço gratuito", comenta.

Outro foco da pasta neste ano é implantar um programa para diagnosticar e acompanhar crianças e adolescentes que estão com sobrepeso em Jaraguá. Entre os alunos da rede municipal de Educação, 38% estão acima do peso, segundo Moretti.

Dados da Prefeitura apontam que 70% da população total tem sobrepeso ou obesidade. "Esta é uma questão de saúde pública", observa.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger