O presidente da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, Marcelindo Gruner (PTB), aguarda parecer do setor jurídico da Casa para as próximas providências a respeito da denúncia do Ministério Público contra o vereador Isair (Dico) Moser (PSDB). Entre as acusações está a suposta prática de nepotismo.

Segundo o presidente, o vereador apresentou sua defesa ao processo ainda no fim do ano passado, sob a gestão do ex-presidente da Câmara Anderson Kassner (PP).

 

 

Agora, Gruner aguarda a elaboração do parecer para tomar uma decisão. “Se a investigação vai para frente, ver se a defesa está bem embasada, para ver que providência será tomada”, comenta Gruner.

Moser nega as acusações, especialmente as de nepotismo. Ele reitera que seu irmão é servidor de carreira e tem cargo dentro da secretaria para o qual foi concursado. Já em relação à namorada, diz que, como viúvo, pode namorar quem quiser, e que também não configura nepotismo.

O vereador destaca que tanto a namorada quanto o irmão já tiveram cargos na Prefeitura em governos anteriores, ou seja, defende que não haveria nepotismo pela nomeação ou a contratação de ambos enquanto está no exercício do seu mandato como vereador, para o qual foi eleito em 2016.

“Que culpa têm as pessoas [que possuem cargos na Prefeitura] de ter alguém na família com cargo eletivo?”, questiona o parlamentar. Moser diz ainda que se trata de uma denúncia infundada e que está tranquilo e não tem nada a esconder.

Relembre

Em 2017, um inquérito foi aberto, pelo promotor Ricardo Viviani para apurar, entre outros pontos, a suposta prática de nepotismo pela nomeação do irmão, namorada e filha do vereador Isair Moser a cargos comissionados no Município.

Em setembro do ano passado, o inquérito chegou à Câmara de Vereadores, para a abertura de uma comissão processante contra o parlamentar. Depois de prazo de 30 dia para defesa, Moser a apresentou no fim de dezembro passado.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?