Um dos principais assessores do Governador Carlos Moisés (PSL) desde o início do mandato, em 2019, o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca, pediu exoneração nesta segunda-feira (14). Além de importante aliado, Tasca é também acusado de crime de responsabilidade no processo de impeachment que tramita na Alesc, ao lado de Moisés e da vice- governadora, Daniela Reinehr (sem partido).

 

 

Em nota, Tasca informa que a decisão serve para afastar o seu nome do processo de afastamento, que classifica de “injusto” e para se dedicar à defesa de Moisés e Daniela. Na mensagem, ele também garante tewr "convicção" que os deputados estaduais irão arquivar o processo.

“Esse ato tem como objetivo afastar o meu nome desse injusto processo de impeachment a que eu fui submetido e a partir de agora me dedicar integralmente à defesa do governador Moisés e da vice-governadora Daniela”, disse Jorge Tasca.

No início da noite, o Centro Administrativo emitiu nota confirmando a saída de Jorge Tasca e destacou os “avanços significativos na gestão pública, com inovação, digitalização e revisão de contratos, que resultaram em economia na ordem de R$ 360 milhões aos cofres estaduais”.

Confira a nota

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp