Com a aproximação das eleições, um tema que gera dúvidas entre alguns eleitores são os conceitos de voto em branco, nulo e válido.

A legislação eleitoral considera como válido o voto dado diretamente a um determinado candidato ou a um partido (voto de legenda).

Já os votos nulos e os em branco não são considerados válidos, por isso é um mito que se mais da metade dos votos forem nulos a eleição será anulada.

Embora o voto seja obrigatório em todo o país, o eleitor é livre para escolher seu candidato ou até mesmo não optar por nenhum político. Caso prefira invalidar seu voto, o eleitor tem duas opções: votar em branco ou nulo.

O voto em branco ocorre quando o eleitor não quer votar em nenhum candidato e, ao mesmo tempo, deseja anular seu voto, clicando na tecla específica para votos em branco nas urnas eletrônicas.

Já o voto nulo acontece quando o eleitor insere um número que não pertence a nenhum candidato ou partido político, podendo ser um erro intencional ou não.

A diferença entre eles é somente na forma de invalidar o voto, porque, na prática, possuem a mesma função.

O único reflexo que podem trazer é a diminuição da quantidade de votos que um candidato precisa para ser eleito, pois só os que forem válidos serão computados.

Dessa forma, o candidato que obteve o maior número de votos válidos será o vencedor, independente do turno.

Confira mais informações sobre os diferentes tipos de voto no Glossário Eleitoral do TSE.

 

Com informações da assessoria de imprensa

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul