“A ideologia de gênero é uma violência contra a criança. A família brasileira não quer mais essa discussão”. A frase dita pela ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, nesta quinta-feira (29) em Florianópolis aumentou ainda mais a polêmica em torno do tema, que ganhou corpo nos últimos dias na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Damares participou da abertura do Seminário Regional de Promoção e Defesa da Cidadania, promovido pela União dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), com o objetivo promover e ampliar o debate sobre a prevenção ao suicídio e a automutilação.

Damares também destacou a importância de discutir o suicídio, a automutilação e a violência contra a mulher | Foto Solon Soares/Agência AL

Antes do evento, a ministra falou com os jornalistas no gabinete do deputado Kennedy Nunes (PSD) e não mediu palavras para falar sobre a retirada do termo “Identidade de Gênero” do Currículo Base da Educação Infantil e Fundamental do Estado, solicitado pelo governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL).

“Ideologia de gênero é uma teoria, por isso que se chama ideologia. Não tem nenhuma comprovação científica e entrou nas escolas brasileiras. Os ideólogos precisavam de um grande país, com muitas escolas e crianças para serem laboratórios e cobaias. Mas estamos mandando um recado: acabou a brincadeira no Brasil, nossas crianças não são cobaias e nossas escolas não são laboratórios”, disparou Damares Alves.

A ministra destacou que as pessoas que elegeram Jair Bolsonaro e Carlos Moisés esperam que o fim deste debate seja concluído. “Não há porque manter a discussão no Brasil quando outros países já expulsaram essa ideologia”.

Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos participou da abertura do Seminário Regional de Promoção e Defesa da Cidadania | Foto Solon Soares/Agência AL

Sobre o tema do encontro Damares destacou a importância de discutir o suicídio, a automutilação e a violência contra a mulher com os parlamentares que conhecem a necessidade e a realidade do seu Estado.

Seminários como este ocorrido em Florianópolis estão sendo realizado em outras regiões e ao final de todos serão feitas propostas de políticas públicas que vão ser apresentadas ao governo federal.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger