Você sabia que algumas doenças podem afetar a visão e que o primeiro sintoma dessa doença pode ser percebido por alterações nos seus olhos? Uma deles é o diabetes. O diabetes é uma doença universal, no mundo mais de 450 milhões de pessoas são portadoras dessa patologia e esse número está aumentando devido ao envelhecimento da população. No Brasil, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, a doença afeta mais de 13 milhões de pessoas, cerca de 6,9% da população do País.

De acordo com o oftalmologista, Dr. Marcos Henrique Martins, a retinopatia diabética é a complicação microvascular mais comum do diabetes, sendo a principal causa de cegueira em adultos de 20 a 74 anos de idade.

Ele explica que a glicemia alta inicia uma cascata de alterações na microestrutura dos pequenos vasos da retina causando obstruções da circulação sanguínea e sangramentos. Como a retina é o tecido responsável pela formação da imagem e transmissão para o nervo óptico, quando essas alterações ocorrem causam sintomas visuais como manchas e embaçamento.

“As obstruções que o diabetes causam nas pequenas veias não ocorre exclusivamente nos olhos, mas também ocorre nos rins, no coração, no cérebro, nos dedos e membros dos portadores de diabetes e são as principais responsáveis pelas manifestações graves da doença”, completa.

Alterações na visão podem ser o primeiro sintoma de diabetes?

O especialista afirma que em alguns casos sim. Segundo ele, as alterações da retinopatia diabética podem ser observadas através do exame de fundo de olho, que deve obrigatoriamente fazer parte de todo exame oftalmológico.

“É comum o médico oftalmologista observar as alterações oculares associadas ao diabetes meses ou anos antes de o paciente ter algum grau de perda de visão, tempo suficiente para iniciar o tratamento. As alterações de fundo de olho são muito características mas muitas vezes o paciente ainda não percebeu ser portador do problema pois ainda não afetou a visão central”, explica.

Se tenho diabetes, devo procurar um oftalmologista?

O Dr. Marcos afirma que a perda visual associada ao diabetes atinge a população adulta e está relacionada ao tempo de duração da doença, mas em alguns casos pode estar presente já no momento do diagnóstico de diabetes e, portanto, todos devem fazer exame oftalmológico com fundo de olho no primeiro ano de tratamento do diabetes.

“Não necessariamente necessita ser imediatamente após o diagnóstico. Lembramos que quando recebemos um paciente com queixa de manchas ou embaçamento visual sempre pesquisamos o diabetes como possível causador desses sintomas”, complementa.

Prevenção

A prevenção primária, isto é, antes de apresentar alterações oculares deve ser feita pelo paciente através do controle rigoroso da glicemia. Um controle inadequado pode produzir perda de visão num período de 5 ou mais anos, à depender de fatores associados ao controle da glicemia, tempo de doença e questões genéticas do próprio paciente. Vale ressaltar que pacientes com familiares cegos devido ao diabetes estão em maior risco de perda de visão.

A outra forma de prevenção, de acordo com o médico, é a secundária. Ela é realizada pelo médico oftalmologista quando encontra as primeiras manifestações vasculares na retina do paciente.

A doença inicial comumente é assintomática, apesar do paciente apresentar pequenos sangramentos e obstruções das pequenas veias no fundo do olho, o paciente pode não perceber essas manifestações e só ser descoberto na consulta. Nesse caso, cabe ao médico iniciar o tratamento específico para impedir que esses sangramentos e obstruções aumentem em gravidade comprometendo a visão do paciente.

“Para esse fim, o oftalmologista deve realizar a fotocoagulação à laser na retina doente para impedir novos sangramentos e utilizar medicações antiangiogênicas injetadas dentro dos olhos do paciente para inibir o extravasamento de líquidos e proteínas pelas veias doentes para dentro da retina”, explica.

Consequência da falta de cuidado em relação a visão

O oftalmologista enfatiza que a consequência final é, obviamente, a cegueira. Ele destaca que a preocupação reside no fato de que o diabetes é a principal causa de cegueira no adulto. A perda visual irá progredir invariavelmente nos pacientes que não controlam adequadamente a glicemia. As formas de perda visual podem ser súbitas por sangramentos e obstruções das veias ou de forma lenta pela presença de líquido na retina que extravasa dos vasos com defeito de funcionamento.

“A mensagem final que eu gostaria de deixar é que a cegueira pode ser prevenida pelo controle adequado da glicemia pelo paciente diabético ou pela ação do médico quando as primeiras alterações já estão presentes, portanto, é importantíssimo que o paciente diabético esteja bem informado de que a visita ao oftalmologista deve ser feita de forma periódica e orientada pelo médico”, finaliza Dr. Marcos.

Sobre o especialista

O Dr. Marcos Henrique S. Martins (CRM 19639 e RQE 11168) atende no Centro Oftalmológico Jaraguá do Sul - Unidade Sadalla Amin Ghanem. É Oftalmologista Retinólogo formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora, com residência médica em Oftalmologia (2008) e Fellowship em Retina e Vitreo (2010), ambos pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Também é membro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, da Sociedade Brasileira de Retina e Vitreo e certificado pelo International Council Ophthalmology.