O quadril é a articulação formada pelo osso da coxa (fêmur) e da bacia (acetábulo). A artrose de quadril é definida por um processo degenerativo crônico e progressivo desta articulação, que tem como principal característica o desgaste da cartilagem articular, de forma irreversível.

De acordo com o ortopedista e especialista em quadril e joelho, Dr. Rodrigo Angeli, a principal manifestação clínica da artrose de quadril é a dor localizada na região inguinal (virilha) ou na parte interna da coxa, podendo irradiar para o joelho, com redução dos movimentos desta articulação.

“A doença tem característica de piora da dor no início dos movimentos, causando dificuldade para colocar as meias, lavar os pés ou cruzar as pernas. Manifestações clínicas como encurtamento do membro afetado, marcha claudicante (andar mancando) e desvios da pelve são achados comuns na artrose de quadril”, explica.

Causas

As principais causas conhecidas da artrose de quadril são: idade avançada, sobrecarga articular, obesidade, alterações no formato ósseo do quadril (displasia congênita), doenças inflamatórias (artrite reumatoide, lúpus), sequelas de trauma ou infecção e impacto femoro-acetabular.

Segundo o especialista, a faixa etária mais comum são as de pessoas acima de 55 anos. “Acomete de 5 a 10% da população em média. Devido às inúmeras causas conhecidas da artrose do quadril, pode também acometer pacientes mais jovens”, pontua.

Ele ainda ressalta que, a característica hereditária é um fator importante a ser considerado no diagnóstico da artrose de quadril, por haver uma relação direta com alterações genéticas no formato desta articulação que podem levar à artrose.

É possível prevenir?

Algumas causas de artrose de quadril como as alterações no formato ósseo tanto do acetábulo quanto da cabeça ou colo femoral, podem ser tratadas precocemente para prevenir, ou pelo menos retardar o desgaste da articulação.

Por isso, o especialista ressalta que o diagnóstico precoce é muito importante. “Mas a principal prevenção se faz com medidas de melhora da qualidade de vida, como alimentação saudável e prática de atividades físicas regulares, dentro dos limites fisiológicos.”

Diagnóstico

Inicialmente o diagnóstico é feito em consulta médica, com uma entrevista qualificada (anamnese) e exame físico detalhado por um profissional habilitado.

Exames de imagem são complementares ao diagnóstico, sendo a radiografia simples uma ferramenta muito útil. Exames mais detalhados como tomografia computadorizada e ressonância magnética podem detectar alterações nos estágios mais iniciais.

Tratamento

O tratamento da artrose de quadril se inicia com o uso de medicamentos para alívio dos sintomas (analgésicos/anti-inflamatórios) associados a alongamentos e fortalecimentos da musculatura do quadril.

Outras medicações como protetores de cartilagem também podem ser utilizados. O ortopedista detalha que, quando este tratamento conservador falha, a indicação é de tratamento cirúrgico, com várias opções de técnicas. “O procedimento cirúrgico com maior taxa de satisfação, alívio dos sintomas de dor e melhora qualidade de vida dos pacientes é a artroplastia (prótese) total de quadril”, salienta.

Por se tratar de uma doença articular degenerativa, a artrose do quadril é uma condição progressiva. Se não tratada, evolui com piora da dor, perda gradual da mobilidade articular do quadril e aumento do encurtamento do membro, podendo levar a sobrecarga mecânica na coluna lombar e joelhos.

Sobre o especialista

O Dr. Rodrigo Angeli (CRM/SC 18065) atende na clínica COE (Centro de Ortopedia Especializada), em Jaraguá do Sul. É médico ortopedista, especialista em quadril e joelho.