Mais de 20 casos da variante Delta foram confirmados em Santa Catarina. Com isso, são 63 casos confirmados da variante Delta do Coronavírus até o momento.

Desse total, 26 são considerados casos autóctones (de transmissão dentro do estado), 7 casos importados (transmissão fora do estado) e 30 estão em investigação sobre o local provável de infecção.

Dos 63 casos, dois evoluíram para óbito.

Os municípios com o registro de casos são:

  • Araquari (2)
  • Balneário Camboriú (1)
  • Balneário Piçarras (1)
  • Barra Velha (1)
  • Biguaçu (1)
  • Bom Jardim da Serra (4)
  • Bombinhas (1)
  • Camboriú (3)
  • Campo Alegre (1)
  • Chapecó (2)
  • Navegantes (3)
  • Itapoá (1)
  • Florianópolis (3)
  • Garopaba (1)
  • Itajaí (3)
  • Mafra (2)
  • Jaraguá do Sul (1)
  • Ituporanga (1)
  • Joinville (12)
  • Rio do Sul (1)
  • Palmitos (1)
  • São Francisco do Sul (8)
  • São José (3)
  • São Joaquim (1)
  • Capivari de Baixo (1)
  • São Bento do Sul (2)
  • Santo Amaro da Imperatriz (1)
  • Tubarão (1)

"Diante desse cenário, as medidas de prevenção devem ser mantidas. O uso das máscaras, em todos os ambientes, é uma das melhores formas de proteção, assim como o distanciamento social, a manutenção dos locais ventilados e a higiene das mãos. Outra ação de fundamental importância é a vacinação da população, que continua avançando no Estado de Santa Catarina”, alerta o superintendente de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário.

Amostras para identificação

A estratégia de vigilância genômica do vírus SARS-CoV-2 em Santa Catarina tem como objetivo monitorar as mutações e variantes que circulam no estado, bem como compreender os padrões de dispersão e evolução do vírus durante a pandemia em curso e o possível impacto na epidemiologia da Covid-19.

As amostras são selecionadas por meio da estratégia de vigilância genômica do vírus SARS-CoV-2 em Santa Catarina. Os testes preliminares (triagem) para a identificação das possíveis infecções por Variantes de Preocupação (VOC), como a Delta, são realizados no Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (LACEN/SC).

As análises determinam se a amostra é uma provável variante de preocupação a partir da identificação de mudanças específicas que são diferentes entre os tipos de vírus. Ao serem enviadas à Fiocruz, as amostras passam por um sequenciamento genômico completo, que fornece detalhes do perfil e classifica com exatidão a linhagem de cada amostra.

Vacinação

Os estudos divulgados até o momento mostram que as vacinas disponíveis no Brasil oferecem alta proteção contra casos graves, hospitalização e óbitos por todas as variantes do Coronavírus, incluindo a variante Delta, principalmente quando o esquema vacinal está completo (com duas doses ou dose única). No entanto, elas não impedem que a Covid-19 seja transmitida, assim o uso de máscaras, distanciamento social, evitar aglomerações, manter ambientes arejados com ventilação natural e praticar a higiene respiratória, utilizando água e sabão e álcool gel 70% para lavar as mãos, são medidas essenciais que precisam ser mantidas por todos nesse momento.

Independentemente do tipo de variante do Coronavírus, recomenda-se a adesão da população à vacinação contra a Covid-19, de acordo com o calendário pactuado entre o estado e os municípios.

“Todos devem comparecer aos locais de vacinação, quando chegar a vez, para receber tanto a primeira quanto a segunda dose da vacina contra a Covid-19 Todas as vacinas são eficientes e protegem contra as formas graves da doença. Apenas com o esquema vacinal concluído a imunização tem o seu resultado, e as pessoas estarão protegidas”, lembra o diretor de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, João Augusto Brancher Fuck.

Nota de Alerta

De acordo com a Nota de Alerta nº 13/2021 emitida pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SUV) o fortalecimento das medidas de prevenção diante da presença da variante Delta do Coronavírus no Estado de Santa Catarina devem ser intensificados.

A nota traz uma série de medidas que devem ser adotadas pelas equipes de vigilância sanitária e epidemiológica, serviços de saúde e população em geral. Entre as principais orientações está a organização de estratégias de preparação e resposta frente a uma possível nova onda de casos e intensificação de vacinação. E para a população em geral, o alerta é para manter as medidas de prevenção como uso de máscaras, distanciamento social evitando aglomerações e ambiente com pouca ventilação e lavagem das mãos, além de buscar a vacinação assim que as doses estiverem disponíveis.

A variante Delta

A variante Delta é da linhagem viral B.1.617, que apareceu na Índia em outubro de 2020. Em maio de 2021, após ser associada ao agravamento da pandemia, a cepa foi declarada como variante de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Conforme um estudo divulgado em julho por pesquisadores ligados a OMS e ao Imperial College de Londres, a variante Delta é cerca de 97% mais transmissível do que o Coronavírus original identificado na China, sendo assim ainda mais preocupante do que as variantes surgidas no Reino Unido (Alfa), na África do Sul (Beta) e no Brasil (Gama).