O suposto acordo anunciado pelo governo na noite de quinta-feira (24) parece não ter agradado a categoria dos caminhoneiros autônomos, uma vez que o "desconto" do diesel seria de apenas 30 dias. Sem acordo, os bloqueios nas estradas chegam a pelo menos 108 pontos na manhã desta sexta-feira (25), nas rodovias federais e estaduais de Santa Catarina, segundo levantamento das policiais rodoviárias. O abastecimento de cargas pelo Estado segue comprometido.

No entendimento do presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de Santa Catarina (Sindicam), Francisco Biazotto, as lideranças sindicais não se entenderam com os representantes do governo que assumiram a negociação em Brasília.

"Imagine, 10% de desconto por 30 dias? Eu entendo que tem que ter uma redução do que foi aumentado neste ano e deve permanecer até, pelo menos, o final do ano. Se há deflação, como o combustível sobe tanto? Para quê? Abastecer uma estatal que foi arrombada? Não estou incitando ninguém, mas, na minha opinião, se o caminhoneiro vai se desmobilizar pra pagar para trabalhar, então que fique parado e tentando reaver a negociação", avaliou Biazotto.

LEIA MAIS: Confira as restrições de transporte público na Grande Florianópolis

Embora apoie o movimento, o sindicalista defende que a categoria poderia liberar a circulação de carga viva, alimentos perecíveis e combustível.

No entanto, Biazotto explica que a categoria sofre com a desvalorização e mal consegue pagar as contas considerando o aumento frenético do diesel, o alto valor dos pedágios das rodovias que não é pago pelas empresas que contratam o frete, além de multas exorbitantes em situações relacionas às balanças nas estradas.

Outra questão levantada pelo presidente é a falta de incentivo para financiamento dos veículos utilizados no exercício da profissão, que poderia contar com juros mais acessíveis.

"Tem que se ter um diálogo mais livre para levar as reivindicações e ir negociando. É impossível trabalhar em alguns lugares onde os pedágios são exorbitantes e com esse calor de diesel, não sobra nada. Muita gente se obriga a parar de trabalhar por conta disso", completou.

Confira alguns pontos da proposta do governo

-  Preço do diesel será reduzido em 10% e ficará fixo por 30 dias. O valor ficará fixo em R$ 2,10 nas refinarias pelo período

- Os custos da primeira quinzena com a redução, estimados em $ 350 milhões, serão arcados pela Petrobras. As despesas dos 15 dias restantes ficarão com a União como compensação para a petrolífera.

- A cada 30 dias, o preço do combustível será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês.

- Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de cargas

- Tabela de frete será reeditada a cada três meses

- Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas

- Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas

- Entidades e governo terão reuniões períodicas

- Petrobras irá contratar caminhoneiros autônomos como terceirizados para prestação de serviços

Confira os pontos das paralisações:

Região Sul

  • Imbituba (km 281 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Imbituba (km 282 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Imbituba (km 290 da BR-101: Obstrução de veículos de carga.
  • Tubarão (km 342 da BR-101): Veículos de carga convidados a parar;
  • Jaguaruna (km 354 da BR-101: Tratores estão obstruindo pista da direita de ambos os sentidos. veículos de carga são convidados a parar;
  • Araranguá (km 421 da BR-101): Veículos de carga são convidados a parar;
  • Araranguá (km 425 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Maracajá (km 402 da BR-101): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Içara (km 382 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Sombrio (km 439 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Santa Rosa do Sul (km 445 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Forquilhinha (km 400 da SC-108): Manifestação com bloqueio de veículos de carga.
  • Treviso (km 25 da SC-446): Movimentação com bloqueio de veículos de carga.
  • Orleans (km 335 da SC-108): Manifestantes com bloqueio de veículos de carga.
  • Gravatal (km 160 da SC-370): Bloqueio para veículos de carga.
  • Braço do Norte (km 145 da SC-370): Bloqueio para veículos de carga.
  • Urussanga (KM 108 da SC-351): Restrição de veículos de carga.
  • Morro da Fumaça (km 6 da SC-445): Restrição de veículos de carga.

Vale do Itajaí

  • Itajaí (km 116 da BR-101): Veículos de carga convidados a parar.
  • Itajaí (km 14 da SC-486): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Itajaí (km 0,3 da SC-412): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Navegantes (km 11 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Indaial (km 68 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Indaial (km 75 da BR-470): Obstrução de veículos de carga.
  • Petrolândia (km 296 da SC-110): Bloqueio de caminhões de carga.
  • Gaspar (km 47 da BR-470): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Apiúna (km 100 da BR-470): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Ascurra (km 90 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Pouso Redondo (km 174 da BR-470): Obstrução de veículos de carga.
  • Laurentino (km 346 da SC-350): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Vidal Ramos (km 259 da SC-110): Solicitando adesão dos motoristas.
  • Botuverá (km 42 da SC-486): Bloqueio para caminhões.
  • Brusque (km 120 da SC-108): Bloqueio para caminhões.
  • Pomerode (km 10 da SC-421): Solicitando adesão dos caminhões.
  • Pomerode (km 100 da SC-110): Solicitando adesão dos caminhões.
  • Imbuia (km 259 da SC-110):  Solicitando adesão dos caminhões.
  • Aurora (km 375 da SC-350): Adesão de veículos de carga.

Planalto Norte e Norte

  • Joinville (km 26 da BR-101): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Garuva (Entre os kms 0 e 11 da SC-417): Restrição de veículos de carga.
  • Araquari (km 21 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Araquari (km 50 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Araquari (km 55 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Araquari (km 75 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • São Francisco do Sul (km 3 da BR-280): Obstrução de carga são convidados a parar.
  • Mafra (km 7 da BR-116): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Papanduva (km 54 da BR-116): Obstrução de veículos de carga.
  • Rio Negrinho (km123 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Canoinhas (km 231 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Canoinhas (km 235 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Canoinhas (km 0 da SC-477): Solicitando adesão dos motoristas.
  • Três Barras (km 4 da SC-120): Manifestantes às margens da rodovia.
  • Santa Tereza (km 375 da SC-350): Bloqueio de caminhões de carga.
  • Itapoá (entre os kms 17 e 22 da SC-416): Manifestação às margens da rodovia.
  • São Bento do Sul (km 111 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • São Bento do Sul (km 123 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Irineópolis (km 268 da BR-280): Veículos de carga são convidados a parar.
  • Massaranduba (km 108 da SC-425): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Guaramirim (km 43 da SC-108): Solicitando adesão dos motoristas.
  • Itaiópolis (km 79 da SC-477): Solicitando adesão dos motoristas.

Região Serrana

  • Santa Cecília (km 138 da BR-116): Veículos de carga convidados a parar.
  • Lages (km 245 da BR-116): Veículos de carga convidados a parar.
  • Lages (km 247 da BR-116): Obstrução de veículos de carga.
  • Campos Novos (km 344 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Campos Novos (km 321 da BR-470): Obstrução de veículos de carga.
  • Correia Pinto (km 217 da BR-2116): Veículos de carga convidados a parar.
  • Curitibanos (km 247 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Curitibanos (km 249 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • Curitibanos (km 252 da BR-470): Veículos de carga convidados a parar.
  • São Joaquim (km 304 da SC-114): Manifestação solicitando adesão dos motoristas.
  • Bocaina do Sul (km 180 da BR-282): Obstrução de veículos de carga.
  • Campo Belo do Sul (km 214 da SC-370): Bloqueio para veículos de carga.
  • Palmeira (km 200 da SC-114): Bloqueio para veículos de carga.
  • Otacílio Costa (km 190 da SC-114): Movimentação parcial, bloqueio para caminhões.
  • São João do Oeste (km 98 da SC-163): Bloqueio de veículos de carga exceto ração e carga viva.

Oeste e Meio Oeste

  • Nova Erechim (km 571 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Xanxerê (km 502 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Xanxerê (SC-480): Manifestantes solicitando adesão dos motoristas.
  • Maravilha (km 606 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Palma Sola (km 11 da SC-161): Manifestação às margens do trevo.
  • São Miguel do Oeste (SC-169): Manifestação às margens das rodovias.
  • São Lourenço do Oeste (km 4 da SC-157): Manifestaçã às margens da rodovia.
  • Tangará (km 140 da SC-135): Bloqueio com liberação de veículos com cargas vivas e automóveis.
  • Videira (km 119 da SC-135): Bloqueio com passagem de veículos de emergência.
  • Videira (km 49 da SC-355): Manifestação às margens da rodovia.
  • Fraiburgo (km 29 da SC-355): Manifestação às margens da rodovia.
  • Lebon Régis (km 2 da SC-355): Manifestação solicitando adesão dos motoristas.
  • Lebon Régis (km 163 da SC-120): Manifestação dos caminhoneiros às margens da rodovia.
  • Concórdia (km 97 da BR-153): Veículos de carga convidados a parar.
  • Concórdia (km 19 da SC-283): Movimentação de caminhoneiros às margens da rodovia.
  • Catanduvas (km 406 da BR-282): Veículos de carga convidados a parar.
  • Coronel Freitas (SC-157): Manifestação solicitando  adesão ao movimento.
  • São Domingos (km 1 da SC-480): Movimentação solicitando adesão ao movimento.
  • Campo Erê (km 2 da SC-160): Movimentação de caminhoneiros às margens da rodovia.
  • Itapiranga (km 106 da Sc-163): Movimentação solicitando adesão ao movimento.
  • Ipoméia (km 109 da SC-135): Solicitando adesão ao movimento, trânsito em meia pista.
  • Iomerê (km 69 da SC-355): Bloqueio veículos de carga
  • Itá (km 128 da SC-155): Veículos de emergência e automóveis tem livre acesso.
  • Seara (km 51 da SC-283): Veículos de emergência e automóveis tem livre acesso.
  • Arabutã (km 102 da SC-154): Veículos de emergência e automóveis tem livre acesso.
  • Guatambú (km 107 da SC-283): Restrição de veículos de carga.
  • Bom Jesus (km 76 da SC-480): Restrição de veículos de carga.
  • Abelardo Luz (km 15 da SC-155): Restrição de veículos de carga.
  • Jupiá (km 18 da SC-480): Rodovia bloqueada.
  • Iporã do Oeste (km 89 da SC-163): Restrição de veículos de carga.
  • São Carlos (km 140 da SC-283): Restrição de veículos de carga.

Grande Florianópolis

  • Biguaçu (SC-407): Bloqueio de caminhos ao acesso à distribuidora da Petrobrás
  • Palhoça (km 216 da BR-101): Obstrução de veículos de carga.
  • Tijucas (km 6 da SC-410): Bloqueio na via para caminhões.

As reivindicações

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) já havia protocolado na segunda-feira da semana passada (14), ofício para cobrar medidas do governo Federal em função do aumento das refinarias e dos impostos que recaem sobre o óleo diesel.

"As recentes paralisações feitas em diversas rodovias do país refletem o desespero e a insatisfação da categoria, que não têm seus pleitos ouvidos pela Governo. Além da correção quase que diária dos preços dos combustíveis realizado pela Petrobrás, que dificulta a previsão dos custos por parte do transportador, os tributos PIS e Cofins, majorados em meados de 2017 com o argumento de serem necessários para compensar as dificuldades fiscais do Governo, são o grande empecilho para manter o valor do frete em níveis satisfatórios", divulgou a Abcam.

A associação defende ainda que a redução dos tributos poderia impactar em queda nos custos da produção agropecuária, no preço do frete dos alimentos e nas tarifas do transporte em geral, o que beneficiaria a população.

No documento protocolado na Presidência da República e na Casa Civil, a Abcam sugeriu a "criação de um Fundo de Amparo ao Transportador Autônomo, destinado ao custeio de um programa para aquisição de óleo diesel, ou um sistema de subsidio para aquisição de óleo diesel por parte dos transportadores autônomos".

Quer receber as notícias no WhatsApp?