“O ministério da Saúde espera vacinar todos os grupos prioritários até o final do primeiro semestre de 2021, o que seria quase a metade da população brasileira”. A afirmação é do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que está em Chapecó conhecendo de perto os problemas que a maior cidade do Oeste catarinense está enfrentando no enfrentamento à pandemia da Covid-19. Segundo ele, até o final de março a sua pasta deverá distribuir de 4 a 5 milhões de doses por semana aos estados.

O voo que levou o ministro a Chapecó sofreu atraso de quase 3 horas, por dificuldade de pouso em Chapecó. Ele desembarcou às 12h50min, acompanhado de uma equipe da sua pasta. Pazuello foi recebido por uma comitiva formado pelo governador Carlos Moisés (PSL), a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido), presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), o senador Jorginho Melo (PL), o prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD) e o prefeito de Xanxerê, Oscar Martarello (PSDB).

 

 

Pazuello conheceu a estrutura da UPA e da estrutura de saúde montada no Centro de Eventos de Chapecó, onde foram instalados 35 leitos de enfermaria e outros 40 serão instalados nos próximos dias. Também serão instalados 20 leitos de UTI. “Estou achando a resposta de Chapecó excelente”, disse o ministro. “O olhar das pessoas demonstra motivação. E não tem segredo, não se faz 1 mil leitos em um dia. Primeiro se faz 10, depois 20 e assim vai até conseguirmos atender a todos”.

O ministro da Saúde seguiu no meio da tarde para Xanxerê, onde tem nova reunião com as autoridades locais.