Nesta terça-feira (28), a Prefeitura de Gaspar informou que um macaco da espécie Bugio foi encontrado morto em uma região de mata fechada, no bairro Belchior Alto. De acordo com o comunicado, a causa do óbito ainda é desconhecida e o animal foi recolhido para investigação. Exames com material coletado serão realizados pelo Laboratório Fiocruz, do Paraná, e mostrarão se o primata estava infectado com o vírus da febre amarela.

A diretora municipal de Vigilância em Saúde, Jicéli Petró, explica que um morador encontrou o macaco morto no sábado (25), mas só entrou em contato com profissionais da saúde na segunda-feira (27). “Ele procurou a unidade de saúde para se vacinar contra a febre amarela e foi então que contou para as enfermeiras que viu o animal”.

Segundo a Prefeitura, todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas para garantir que não haja riscos aos moradores da localidade. Agentes de saúde fizeram visitas domiciliares pela região onde o bugio foi encontrado para averiguar as cadernetas de vacinas e, se necessário, efetuar a imunização contra a febre amarela.

 

"É importante ressaltar que todas as ações são preventivas e que ainda não está confirmada a infecção do animal. De qualquer forma, reforçamos que a vacina é o único método de prevenção contra a doença”, esclarece Jicéli.

 

É importante lembrar que os macacos não transmitem a febre amarela, eles são vítimas, assim como os humanos. A doença é transmitida apenas pela picada do mosquito infectado. Matar macacos é crime ambiental e prejudica o controle da febre amarela, já que, ao contraírem o vírus, servem de alerta para a circulação dele no entorno.

Se você mora em Gaspar e encontrou um primata morto ou doente, a Prefeitura recomenda que entre imediatamente em contato por meio do telefone 3703-3774.

Febre amarela em Santa Catarina

Até o dia 21 de janeiro, de acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), o estado já registrava mais de 60 mortes de macacos com suspeita de febre amarela. No último ano, foram notificadas 353 mortes de macacos em 77 municípios. Destas, seis foram ocasionadas por febre amarela.

 

 

Recentemente, o órgão estadual também confirmou o primeiro caso de febre amarela em humano neste ano. O paciente está internado no Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis, unidade referência de infectologia em Santa Catarina. O homem tem 47 anos e é morador de São Bento do Sul, município situado no Planalto Norte. Ele não tem registro da vacina.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul