A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC), confirma o primeiro caso de febre amarela em humano neste ano. O paciente está internado no Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis, unidade referência de infectologia em Santa Catarina.

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC) confirmou o diagnóstico para a doença na tarde desta sexta-feira (24). O homem de 47 anos é morador do município de São Bento do Sul, Planalto Norte, e não tem registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações.

A Dive/SC também confirma a morte de um macaco (bugio) por febre amarela em São Bento do Sul. O animal foi encontrado no dia 10 de dezembro, na localidade de Rio Vermelho e o resultado foi divulgado pelo Instituto Carlos Chagas Fiocruz do Paraná, na quinta-feira, 23.

Essa foi a sétima morte de macaco confirmada laboratorialmente pela doença em Santa Catarina em 2019. Mais de 60 macacos morreram com suspeita de febre amarela em 2020, no Estado.

As notificações dos óbitos estão concentradas nas regiões de saúde do Planalto Norte (nos municípios de São Bento do Sul, Campo Alegre e Rio Negrinho) e Médio Vale do Itajaí (Pomerode, Blumenau e Timbó) e seguem em análise no mesmo Instituto, laboratório de referência para SC.

“É importante que quem encontre um macaco morto ou doente notifique a secretaria municipal de saúde. São os macacos os primeiros a adoecerem por febre amarela e por isso sinalizam a presença do vírus na região”, explica Aysla Matsumoto, médica veterinária da Dive/SC.

Receba no seu WhatsApp somente notícias sobre Segurança Pública da região (Trânsito, Operações Policiais. etc...):

Telegram