O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado neste dia 20 de novembro é marcado pela reflexão sobre a inserção do negro na sociedade e coincide com a morte de um dos maiores líderes negros do Brasil, Zumbi dos Palmares.

Atualmente, segundo dados do IBGE, os negros representam 55,8% da população brasileira e 54,9% da força de trabalho.

Jaraguá do Sul é muito conhecida pela colonização alemã, italiana e de outras nacionalidades europeias, no entanto, mais de 50 negros vieram para a região no período colonial e também contribuíram com o desenvolvimento da cidade, em especial, o crescimento de um dos principais cartões postais do município.

O morro Boa Vista, como é conhecido hoje, foi povoado principalmente pela população negra. Em determinado momento da história, a localidade passou a ser chamada, pejorativamente de “Morro da África” por conta da grande concentração de moradores negros.

 

 

É dai que vem o nome do livro que será lançado nesta quinta-feira (21), na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, às 19h. A obra “Memórias do Povoado do Morro da África” faz um resgate da história dos negros no município.

Para o presidente da Comissão de Resgate da História da População Negra de Jaraguá do Sul, Francisco Alves, o Dia Nacional da Consciência Negra é uma data que simboliza a luta de um povo.

“Penso que tudo tem que ter uma data, mas a luta do negro é constante. Eu gostaria muito que as oportunidades para os negros fossem concebidas de maneira muito natural, mas por enquanto ainda não conseguimos isso”, afirma.

União entre os povos

Para ele, a mistura dos povos é como a receita de um bolo: quando dizem que o negro precisa ser inserido na sociedade é como se ele fosse apenas a cereja do bolo. “Se você tirar a cereja, o bolo vai continuar inteiro”, explica. “O negro não tem que ser inserido em alguma coisa, ele tem que fazer parte do todo”, garante.

Alves aproveita a data para reforçar a evolução que aconteceu nos últimos anos quando o assunto é a questão racial.

“Há 18 anos, quando iniciamos o nosso movimento negro aqui na região, era bem diferente, tinha muita piadinha na escola, por exemplo. Hoje, temos leis para que se evite esse tipo de preconceito. Temos essa conquista, mas podemos avançar muito mais”, afirma.

Foto Dielin da Silva / OCP News

O lançamento do livro na Semana da Consciência Negra deixa o momento ainda mais especial.

“Queríamos ter lançado o livro há dois anos, mas como não conseguimos, colocamos como objetivo lançá-lo ainda este ano. Foi sugerido no grupo sobre fazer o lançamento na Semana da Consciência Negra e conseguimos, justamente para fechar com chave de ouro”, comenta orgulhoso.

O livro, que levou mais de quatro anos para ser finalizado, é um marco no município, especialmente para a população negra jaraguaense.

“É um sentimento de felicidade e ansiedade porque a gente ainda não viu o livro encapado e finalizado, mas o importante, é que demos mais este passo", garante Francisco Alves.

Mil exemplares da obra foram impressos e devem ser distribuídos em creches, escolas e repartições públicas que tem biblioteca.

Serviço

  • O que: lançamento do livro “Memórias do Povoado do Morro da África - A História dos Negros em Jaraguá do Sul”
  • Quando: quinta-feira, 21 de novembro, a partir das 19h
  • Onde: Câmara de Vereadores, na avenida Getúlio Vargas, 621 - Centro
  • Quanto: entrada gratuita

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger