Nesta quarta-feira (29), em Laguna, no litoral catarinense um boto foi visto ‘escoltando’ o corpo de um filhote que estava morto. De acordo com especialistas do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos, esse tipo de comportamento é raro de acontecer e é chamado de epimelético.

Foto: PMP-BS/Udesc

O fato raro foi visto por pescadores que acionaram as equipes para fazerem o recolhimento do animal morto junto com a Polícia Militar Ambiental (PMA).

"É um comportamento de despedida, onde a mãe ou algum outro membro do grupo carregam o corpo do indivíduo morto por um ou mais dias. A última vez que algo parecido ocorreu em Laguna foi em dezembro de 2018. O primeiro registro foi no ano de 1994 em circunstâncias muito semelhantes", informou o projeto.

Foto: PMP-BS/Udesc

Conforme informado pelos médicos veterinários, o filhote era do sexo masculino e estava em decomposição há pelo menos um dia. De acordo com as análises feitas, o boto que carregava o filhote era a mãe do animal. Por mais que o comportamento seja raro, ele ocorre com diversas espécies do golfinhos.

O animal foi encaminhado para a Unidade de Estabilização de Fauna Marinha, onde foi realizado o exame de necropsia no filhote para identificar a causa da morte.

Foto: PMP-BS/Udesc