O prefeito de Florianópolis, Loureiro, assinar a criação do Benefício Desacolhimento, voltado para auxiliar mulheres vítimas de violência que estão em casas de passagem e acolhimento, além de jovens que irão fazer 18 anos e precisam sair dos abrigos.

O benefício consistirá em auxílio por seis meses, podendo ser prorrogado por mais três, mediante avaliação técnica. O valor do auxílio será de um salário mínimo, para incentivo de autonomia e independência financeira.

"É muito comum, e constato isso conversando com a equipe técnica de Assistência Social, que as mulheres vítimas de violência se vejam obrigadas a continuar com seus parceiros por medo da perda de renda. Esse auxílio dará formas mais justas para que elas retomem sua vida", comenta o prefeito Gean Loureiro.

 

 

O Benefício Desacolhimento será concedido pela Secretaria Municipal de Assistência Social, executado e acompanhado pela equipe técnica vinculada ao órgão gestor que executa os serviços da Diretoria de Proteção Social Especial.

A concessão será realizada pela equipe técnica do Serviço de Acolhimento Institucional, quando considerar que a permanência no serviço, vem da ausência temporária de moradia, ou local para residir.

O benefício será concedido para até 20 mulheres e jovens. As vagas cobrem 100% da demanda atual, mas podem ser ampliadas, conforme a necessidade. Atualmente em Florianópolis há 10 mulheres vítimas de violência acolhidas junto com seus filhos. Há ainda 7 jovens que irão completar 18 anos em 2021 e poderão ser beneficiados.

O valor do benefício poderá auxiliar no pagamento de aluguéis para moradia. O beneficiário, será acompanhado pelas equipes técnicas que emitirão Registro de Acompanhamento no prontuário do usuário, no sistema informatizado da Semas, certificando que o auxilio esta sendo utilizado pelo beneficiário exclusivamente para a finalidade a que se destina.